Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Tabagismo, instituições de Saúde como o Instituto Nacional do Câncer (Inca), ligado ao Ministério da Saúde (MS), emitiram neste 29 de agosto, uma série de alertas sobre o risco à saúde, representado no vício do tabagismo. A Organização Mundial de Saúde (OMS), classifica o hábito de fumar como dependência da nicotina.

Narguilé é visto pelo Inca como produto tabagista

O narguilé por exemplo, que muitos jovens se utilizam dele em roda de amigos, e que aparentemente é algo inofensivo, figura na lista do (Inca), entre cigarro, cigarrilha, charuto, cigarro de palha e fumo de rolo, como produto tabagista que causa dependência dessas substâncias.

Em sua página inca.gov.br, o Inca explica que a nicotina leva um tempo estimado de 7 a 19 segundos para atingir o cérebro, liberando substâncias químicas na corrente sanguínea, criando a sensação de bem-estar. Esse é o motivo pelo qual o fumante acende cigarros várias vezes ao dia e, também, diante de situações de estresses.

SUS trata quem quer abandonar o cigarro

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza tratamento em mais de três mil municípios para aquelas pessoas que pretendem abandonar a prática do tabagismo.

Este auxílio pode ser encontrado em mais de três mil municípios brasileiros. Os tabagistas contam também com profissionais de saúde capacitados, materiais de apoio e remédios gratuitos.

Estado de São Paulo cria Lei que protege fumante passivo

O tabagismo é considerado ela Organização Mundial de Saúde (OMS), a maior causa de morte evitável. O site são paulo.sp.gov.br Para proteger a saúde das pessoas que não fumam e frequentam ambientes com pessoas fumantes, o Estado de São Paulo, implementou a Lei nº 13.541, do dia 7 de maio de 2009.

No seu Artigo 1º, além de regulamentar normas de proteção à saúde, a Lei determina a criação de ambientes de uso coletivo livres de produtos fumígenos. No Artigo 2º, a Lei especifica e proíbe no Estado, o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, e outros produtos fumígenos ou derivados do tabaco.

No Parágrafo 2º deste mesmo Artigo, a norma estabelece que recintos de uso coletivo abrange ambientes de trabalho, de estudo, de cultura, de lazer, esporte ou entretenimento, devendo o responsável local advertir os eventuais infratores sobre a proibição.

Com multa no valor de R$ 1.253,50, o Estado de São Paulo possui índice de 99,7% de adesão à Lei Antifumo. Levantamento realizado pela Secretaria da Saúde, aponta que desde essa criação foram realizadas mais de 1,7 milhão de inspeções, resultando em 3.854 multas em ambientes diversos.

InCor mostra diminuição de internações após a Lei

Pesquisa realizada pelo Instituto do Coração (InCor), do Hospital das Clínicas (HC), aponta grande queda no número de internações por doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral, após a implementação da Lei antifumo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo