Um fato bastante diferente do que estamos acostumados a ver está chamando a atenção dos internautas. A Polícia Civil do Piauí prendeu, na manhã desta sexta-feira (4), um homem acusado de estupro virtual.

Os casos de estupros no Brasil crescem dia após dia e este é um problema que se tornou comum na sociedade, mas com a internet estando cada vez mais presente na vida das pessoas, este tipo de crime acabou ganhando sua versão virtual e tem assombrado as mulheres.

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática investigou um caso de estupro virtual, que aconteceu no último mês de junho no Piauí, aonde um homem chegou a tirar várias fotos de uma Mulher sem que ela autorizasse. A vítima estava dormindo na mesma residência que o homem e ele aproveitou para fotografá-la neste momento. A polícia não chegou a revelar qual é a relação mantida por eles, se eram apenas amigos ou tinham algum envolvimento mais íntimo.

O homem, que foi identificado apenas como Mévio, criou um perfil falso em uma rede social e começou a fazer ameaças a mulher, dizendo que iria publicar as fotos, a não ser que ela lhe enviasse fotos ainda mais íntimas. Para fazer pressão na vítima, Mévio criou um outro perfil falso, no qual começou a postar fotos dos familiares da mulher, inclusive de um dos seus filhos, que é menor de idade.

Depois ele chegou a publicar algumas fotos íntimas da vítima e fez novas ameaças.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Mulher

Desesperada, com medo de ter novas fotos íntimas divulgadas, a mulher resolveu aceitar as exigências feitas pelo criminoso e começou a lhe enviar fotos. As novas imagens eram ainda mais íntimas, só que o homem não se contentou e entrou em contato novamente com a vítima, exigindo novas fotos, só que desta vez, ela deveria ser ainda mais ousada. Outra exigência do acusado é que a mulher deveria tirar fotos praticando atos libidinosos, por exemplo, imagens dela se masturbando, entre outras.

A Polícia Civil classificou o crime como estupro virtual. De acordo com o artigo 213 do Código Penal, é considerado estupro quando alguém chega a constranger outra pessoa, seja por meio de violência ou até mesmo por uma Ameaça grave, chegando a ter conjunção carnal ou participar ato libidinoso. A pena para este tipo de crime vai de 6 a 10 anos de reclusão.

No caso do estupro virtual, é caracterizado como uma forma de exploração sexual ou até mesmo pornográfica, alegando que em troca irá preservar a identidade da vítima.

O fato é que o estupro virtual é um tema relativamente novo e ainda desconhecido por boa parte da população, mas caso você seja vítima deste tipo de crime, entre em contato imediatamente com a polícia, pois há formas de chegar ao criminoso e ele irá responder por seus atos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo