Nesta sexta-feira, 15/09, a ação denominada “Duas Caras” foi deflagrada pela Polícia Federal. Uma quadrilha estava fraudando inúmeras poupanças da Caixa Econômica Federal. Para obter êxito nos atos fraudulentos, os bandidos cooptaram o funcionário de carreira Francisco Casamasmo Júnior. Ele era beneficiado por cada informação repassada.

Inicialmente, a Polícia Federal estima que o prejuízo para o banco superou a casa de R$ 1,3 milhão de reais, porém o número final ainda deverá ser apurado com o andamento das investigações.

Foram expedidos 13 mandados de prisão, sendo que, destes, 12 bandidos foram localizados e presos. Um deles não foi localizado e passou a ser considerado foragido. Além disso, a operação contou com 6 mandados de sequestro de bens, 23 de busca e apreensão e 1 de suspensão do exercício da função pública. A quadrilha era chefiada por Sérgio Rodrigues de Oliveira e sua prisão ocorreu em Curitiba. Outras cidades como Almirante Tamandaré, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande e Colombo (todas no Paraná) e Palhoça (Santa Catarina) também possuem ordens judiciais.

As cidades em que as ordens judiciais foram cumpridas foram: Paraná, Santa Catarina e Paraíba. A operação tinha como centro das ações a região sul, porém o funcionário da Caixa Econômica Federal foi transferido para a Paraíba, o que fez com que os bandidos expandissem suas ações fraudulentas para a região onde o funcionário se encontrava.

A quadrilha monitorava as poupanças de pessoas que possuem saldos elevados e que não faziam transações. Com os dados em mãos, os bandidos falsificavam documentos e se passavam pelos clientes, informando perda do cartão e solicitando segunda via.

Com isso, os bandidos faziam compras, saques e transferências.

Em comunicado oficial, a Polícia Federal destacou: “O funcionário suspeito pesquisava e identificava contas poupanças de clientes do banco com grandes saldos e que não apresentavam histórico de retiradas, repassando os dados dos clientes ao líder do grupo criminoso investigado”.

Por volta de 400 contas foram lesadas. Empresários, jogador de futebol e, principalmente, aposentados foram os clientes que tiveram suas contas roubadas.

Os bandidos investigados estão sendo presos por crimes como: peculato, uso de documento falso, furto qualificado, estelionato qualificado, associação criminosa e fabricação de dinheiro público.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo