Menos de um mês após a prisão de Diego Ferreira de Novais, que teve seus 15 minutos de fama ao ser preso por ato libidinoso dentro de um ônibus na avenida mais famosa de São Paulo, um outro homem praticou o mesmo tipo de crime e acabou levando a pior. O caso foi registrado no início da semana, na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, e gerou o mesmo tipo de constrangimento à vítima, uma empregada doméstica, que falou sobre o constrangimento vivido dentro do coletivo.

O ato, tratado como agressão sexual, aconteceu dentro de um ônibus que fazia a ligação entre dois bairros da cidade, Industrial e Vila Rica. O acusado foi identificado como Rodrigo Ribeiro da Luz, de 43 anos. O homem foi denunciado pela vítima, de 44 anos, por ter se esfregado e, depois, ejaculado em cima dela, dentro do coletivo.

Homem ejaculou em passageira dentro de ônibus lotado

Mesmo tendo negado o crime, o acusado acabou sendo preso em flagrante, pois havia provas mais do que contundentes sobre o abuso sexual imposto à vítima.

A mulher, que não teve o nome revelado, disse que costuma pegar o ônibus da linha 7 diariamente e notou que o abusador se esfregou nela. Como o ônibus estava lotado, ela só percebeu que ele havia ejaculado nela quando olhou para trás e viu o agressor fechando a calça. Naquele momento, ela percebeu que a sua blusa estava toda suja com o sêmen do homem, que tentou fugir.

A doméstica então gritou por socorro e, de forma solidária, o motorista parou o ônibus.

Imediatamente a Polícia Militar foi chamada e o homem acabou sendo contido - o que permitiu a prisão do agressor em flagrante. O homem foi condenado pelo crime de "violação sexual mediante fraude", que está previsto no artigo 215 do Código Penal. O suspeito não tinha passagem pela polícia.

"É muita humilhação", diz vítima do ejaculador

Em entrevista ao G1, a vítima do ejaculador de Sorocaba passou detalhes sobre como a agressão aconteceu e desabafou.

Segundo ela, o ônibus que ela pega diariamente é sempre lotado, mas, dessa vez, ela percebeu que havia alguém encostando nela. "Só que daí eu vi que aquilo tava persistente", contou. Ela virou e percebeu que o agressor tinha fechado as calças e já tinha ejaculado em suas costas. Ainda segundo a vítima, "é muita humilhação" levantar cedo para ir trabalhar e passar por uma situação como essa.

Polícia encoraja vítimas a denunciarem agressores

Um dos policiais militares que atenderam a ocorrência, o tenente David Pegorelli, encoraja as vítimas desse tipo de crime a denunciarem os agressores.

Por isso, quando situações como essa acontecem é importante acionar o policiamento.

De acordo com o PM, trata-se de uma situação revoltante, que causa repulsa na sociedade. "Por isso, a gente pede para que a sociedade não se cale diante desses crimes", afirmou o policial. O oficial pede que as mulheres façam a denúncia ao presenciarem esse tipo de abuso, que a PM estará pronta a ir até o local dos fatos para averiguar a situação e tomar as providências cabíveis.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo