Diego Ferreira de Novais, de 27 anos, ficou famoso em todo o Brasil por ter cometido um ato bárbaro dentro de um ônibus na Avenida Paulista, em São Paulo, e, depois, reincidido no mesmo erro. O homem, que a princípio havia sido liberado da prisão pela Justiça, na semana passada, voltou a agir após ser solto e acabou sendo preso no último sábado (2), após importunar uma outra passageira e tentar impedi-la de sair do local. Diego foi preso preventivamente, dessa vez pelo crime de estupro, e sua prisão gerou grande repercussão nas redes sociais, inclusive sendo alvo de vários boatos.

Diego foi brutalmente espancado antes de ser preso?

Como o assunto mexeu demais com a opinião pública, acabou sendo um prato cheio para os boateiros de plantão, que fazem circular pelas redes sociais informações mentirosas, com o objetivo de ganhar curtidas e compartilhamentos.

Como é comum acontecer, muitas pessoas que recebem informações desse tipo acabam passando para frente e compartilhando para seus contatos, por achar que se trata de verdade.

Uma notícia veiculada pelo site "Portal P5" foi maciçamente compartilhada nas redes sociais.

O texto, sob o título "Homem que ejaculou em passageira volta a ser preso e é brutalmente Espancado ao chegar no presídio" traz uma série de mentiras e coloca até mesmo palavras na boca do delegado que investiga o caso.

Veja a notícia falsa, que traz ainda uma foto referente a outro caso de espancamento, ocorrido em Porto Velho, em 2013, como se fosse o de Diego.

Secretaria de Administração Penitenciária desmente informação sobre espancamento

A Secretaria de Administração Penitenciária, órgão responsável pelo gerenciamento das penitenciárias e centros de detenção no estado de São Paulo, desmente o boato propagado nas redes sociais e afirma que não houve qualquer agressão ao ejaculador.

"O preso Diego Ferreira de Novais está com sua integridade física preservada e encontra-se recolhido em uma das celas de inclusão em Regime de Observação no Centro de Detenção Provisória III de Pinheiros", informou o órgão, através de nota oficial.

Ejaculador tem histórico de perversão e opinião pública quer vê-lo atrás das grades

O ejaculador do ônibus, como ficou conhecido Diego após seu rosto ser estampado nos principais veículos de comunicação do país, tem um histórico de perversão que já lhe rendeu 17 detenções por crimes sexuais.

Desse total, 13 aconteceram em função de atos obscenos e importunação ofensiva ao pudor, além de quatro estupros.

Antes de ter sido preso no sábado, Diego foi solto pela justiça porque a justiça considerou o ato que ele havia cometido uma contravenção penal. O rapaz havia ejaculado no pescoço de uma mulher dentro de um ônibus.

A decisão da justiça rendeu uma série de críticas perante a opinião pública, que quer ver o ejaculador preso e condenado. No entanto, muitos internautas que entraram na onda de espalhar a notícia falsa sobre o espancamento de Diego chegaram até a comemorar.

" Na boa ? Se for verdade, a justiça brasileira não da jeito o povo tem que dar. Achei foi pouco", escreveu um internauta, reacendendo o debate sobre a polêmica do justiçamento no país.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo