Uma jovem foi vítima de um abuso sexual dentro de um coletivo que trafegava pela Avenida Paulista, em São Paulo, na tarde de terça-feira (29). Segundo os policiais que atenderam ao chamado, o acusado teria ejaculado sobre a mulher, que ficou desesperada e em choque.

O homem, segundo a polícia, já tem pelo ao menos cinco passagens sob acusação de estupros.

Como aconteceu

Por volta a das 13h20, a Polícia Militar foi notificada sobre o assédio sexual sofrido pela a jovem dentro do ônibus quando o coletivo passava próximo à Alameda Joaquim Eugênio de Lima.

Publicidade
Publicidade

O suspeito foi detido e conduzido até a 78º DP, nos Jardins.

Um vereador que passava pela Avenida Paulista viu quando as pessoas estavam revoltadas com o caso e resolveu transmitir tudo pelo o seu Facebook. "Só pode ser um cara doente, uma passageira foi abusada", falava Caio Miranda Carneiro. O vídeo mostra o exato momento em que o abusador é levado pelo os policiais.

Estado de choque

Bastante nervosa e chorando muito, a jovem abusada foi acalentada pelas outras mulheres que se sensibilizaram com o ocorrido.

O acusado foi mantido dentro do veículo e só foi retirado pelo os policiais, já que o local rapidamente se encheu de pessoas revoltadas com a situação. Alguns ameaçavam e xingavam e tentavam linchar o assediador.

Por meio de uma nota, a Secretária Estadual de Segurança confirmou que o homem, que tem 27 anos, foi preso no 78º Distrito Policial, acusado de estupro. Ele deve ser encaminhado para uma audiência de custódia. Veja abaixo o vídeo do momento da prisão:

Acusado solto

Porém, Diego Ferreira de Novais, preso por abusar de uma passageira dentro de um ônibus na Avenida Paulista, foi liberado pela a Justiça e está em liberdade.

Publicidade

O pai afirma que o filho pode ser perigoso para sociedade e praticar novos crimes.

O aposentado tem 65 anos, há 37, mora no mesmo lugar, agora não quer nem sair de casa. "A vergonha é maior dos vizinhos", disse o pai do acusado para o jornal do SBT. Vergonha do filho Novais, que tem 17 acusações de assédios sexuais dentro de coletivos em São Paulo. O último caso foi exatamente há dois dias. "Em casa não posso ficar com ele, por que ele é muito forte e agressivo", disse o aposentado.

Assim que foi solto na audiência de custodia, Novais não voltou para sua residência, na periferia da Zona Sul de São Paulo. Ele ligou para a mãe e disse que estava com medo de sofrer represálias. O paradeiro do acusado é desconhecido. A família acredita que ele viajou para o Nordeste.

A decisão de libertar Diego foi assinada pelo o juiz José Eugênio do Amaral Neto. Ele entendeu que o ato do preso se encaixa melhor na contravenção penal do que o estupro.

Publicidade

Mesmo que o acusado tenha violado gravemente a dignidade da mulher, para o magistrado, não houve violência ou grave ameaça. Por isso, vai ser obrigado a pagar apenas uma multa.

Logo que soube da soltura do acusado, a jovem desabafou em uma entrevista para a Rádio Jovem Pan: "Estou me sentindo um lixo, para a Justiça eu não fui constrangida...", disse a vítima em meio as lágrimas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo