Uma mulher foi presa pela Polícia, na quarta-feira (27), acusada de deixar a própria filha ser violentada sexualmente pelo esposo e vários homens de origem guianense. O crime aconteceu na comunidade indígena Bom Jesus, na cidade de Bonfim, em Roraima. A mulher, que tem 46 anos, não teve o nome revelado para proteger a identidade da vítima.

Segundo informações repassadas pela polícia, a vítima, que hoje está com 11 anos, vinha sendo abusada sexualmente desde que tinha 5 anos.

Conforme informações da imprensa local, houve ocasiões que a vítima foi estuprada por cinco homens ao mesmo tempo na frente da mãe.

De acordo com a delegada Jaira Farias, que está à frente do caso, as investigações já duram mais de um ano. Ela disse que as investigações começaram logo após uma irmã da vítima ir até à delegacia e registrar uma queixa relatando que ela estava desconfiada que a vítima estava sendo vítima de violência sexual.

A delegada relatou que existem vários boletins de ocorrência relatando o crime, um deles feito pela própria mãe da vítima. Mas segundo a delegada, era apenas para despistar as investigações da polícia. Após a denúncia da irmã, o padrasto da menina começou a ser investigado. Durante o trabalho de investigação, a polícia descobriu que o padrasto abusava da vítima desde que ela tinha 5 anos.

A mãe sabia dos abusos, inclusive, levava mais homens para estuprar filha.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Porém, para fugir dos abusos, a vítima foi morar com a irmã e o cunhando. Porém, a caminho da escola, ela era abordada pela mãe. Em seguida, era levada par ter relações sexuais com os acusados, que, segundo a delegada, já tem os nomes identificados e a polícia está tentando localizá-los. A polícia suspeita que a mãe se beneficiava financeiramente, que os homens pagavam para ter relações sexuais com a vítima.

Com as provas em mãos, a polícia fez prisão preventiva da mãe. A mãe da menina foi presa na manhã de quarta-feira (27), mas o padrasto fugiu para a Guiana.

A vítima continua morando com a irmã e o cunhado. A vítima posou por exames, e os resultados comprovaram os estupros. A menina também prestou depoimento para a polícia. Conforme consta no relato, ela contou detalhes sombrio dos abusos, acrescentado que a mãe a obrigava a tirar fotos e se filmar nua, mandando o material para os abusadores.

A vítima também disse que a mãe assistia a tudo. Devido às séries de abuso, a criança está bem debilitada e passando por acompanhamento psicológico. A delegada informou que NPCA (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente) está em contato com a polícia da Guiana para poder chegar até os acusados. A mãe da vítima prestou depoimento e foi levada para uma cadeia da cidade de Boa Vista, ode ficará à disposição da Justiça.

O caso continua sendo investigado. No total, cinco homens são acusados de cometer o crime de estupro estão foragidos da Justiça.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo