Um casal foi preso acusado de agressão sexual contra uma menor, na sexta-feira (22), na cidade de Edeia, no Sul de Goiás. O homem, que não teve a sua identidade revelada para proteger a identidade da vítima, é um pastor na localidade. Para a Polícia, ele, junto com a esposa, é o principal suspeito de ter abusado sexualmente de uma adolescente de 16 anos.

A vítima frequentava a igreja em que o acusado pregava. O que mais surpreendeu a polícia é que os acusados alegavam que os abusos eram para combater a “maldição do sexo”. O casal negou todas as acusações. Conforme informações repassadas pelo delegado Quéops Barreto, o caso só veio à tona após a vítima não aguentar mais ser abusada pelo pastor e fazer uma queixa contra o acusado.

Segundo o delegado, a vítima relatou que ela estava sendo vítima de agressão sexual pelo homem desde que tinha 13 anos. A vítima disse que os abusos aconteciam sempre da mesma maneira. A suspeito alegava que ela deveria fazer o “sacrifício de Abraão”, porque tinha a maldição de sexo. Para quebrar essa maldição, a adolescente tinha que ter relações sexuais com ele.

Segundo a denúncia, o pastor ameaçava que, caso ela não tivesse relações sexuais com ele, seus familiares iriam morrer. Barreto relata que a esposa do suspeito estava ciente dos abusos, inclusive. era ela que aliciava a vítima, alegando que ela tinha que ter sexo com o pastor e ensinava o que tinha que ser feito.

Segundo as investigações da polícia, a vítima foi estuprada pelo pastor mais de 20 vezes.

Primeiro, a jovem ia para a igreja onde o pastor pregava. Em seguida, a vítima era levada para a residência do religioso, que fica próxima à igreja. As investigações apontaram que a adolescente foi abusada em seções diferentes.

Na primeira seção, a jovem tinha que ter relações sexuais com o pastor três vezes; na segunda, sete vezes; e na terceira seção, mais sete e assim por diante.

Após os abusos, o pastor disse para a vítima mesmo ela tendo praticando sexo, iria permanecer virgem.

A mãe da adolescente não sabia que a filha estava sendo agredida sexualmente pelo pastor. Os abusos foram descobertos pela mãe ao perceber o comportamento fora do normal da filha. Na ocasião, ela questionou a filha se estava namorado e se era virgem.

Diante da pergunta, contou para a mãe sobre os abusos praticado pelo pastor.

Com o depoimento da vítima e todas as provas em mãos, a polícia pediu um mandado de prisão preventiva para o casal. Os suspeitos foram presos e levado para a delegacia de Edeia. Barreto relata que, após a prisão do casal e a divulgação do caso, espera que outras pessoas procurem a polícia relatando se foram vítimas do casal. O caso continua sendo investigado.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!