O atentado ocorreu por volta das 11h40 da manhã desta sexta-feira, no colégio Goyases na cidade de Goiânia (GO). O atirador de 14 anos era aluno da instituição particular e segundo testemunhos sofria bullying dos colegas. Uma funcionária do local ainda disse que todas as vítimas tinham por volta dos 13 anos e pertenciam ao mesmo 8° ano do atirador.

Moradores próximos afirmam terem ficado sem sinal de telefonia celular e um pai de um aluno disse que o atirador não tinha um alvo específico ele simplesmente abriu fogo aleatoriamente.

A polícia acredita nesta versão, porém o delegado titular da DEPAI (Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais) afirma não possuir detalhes de como o crime foi praticado.

O estudante foi apreendido e levado ao DEPAI por policias militares onde realizou o exame de corpo delito.

Pânico

Moradora da região e ex-aluna do colégio que esteve presente no local após a tragédia disse que a situação era assustadora, um misto de pais de alunos atrás dos filhos e polícia para todos os lados. O Instituto Médico Legal (IML) confirma o óbito de dois adolescentes e uma menina foi levada de helicóptero para o Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO).

Segundo palavras do delegado concedidas à BandNews FM, havia um medo generalizado e a escola não se manifestava.

Filho de PM

Segundo o porta-voz da polícia, coronel Marcelo Granja, o atirador é filho de policiais e a arma utilizada pertence à corporação. O menino disparou mais ou menos 11 tiros e só parou quando as balas da arma acabaram. O pai do menor, que é major, terá de prestar contas à corregedoria sobre como o menino teve acesso a pistola .40 que, como dito anteriormente, pertence à polícia.

Ao todo foram 6 vítimas, sendo 2 óbitos e 4 feridos e 1 desses feridos está em estado considerado gravíssimo.

Luto nacional

O presidente Michel Temer lamentou em seu Twitter oficial o que ele mesmo referiu como tragédia e que estava consternado com a notícia e prestou solidariedade às famílias dos feridos.

O colégio particular está situado em uma área de classe média no leste da capital goiana. A instituição que vai do 1° até o 9° ano do ensino fundamental e tem as mensalidades por volta dos 500 reais.

Há o movimento entre instituições públicas como a Secretaria de Saúde e a cúpula de Segurança Pública de Goiás que se reuniram com o governo do estado para que todas as informações sejam atualizadas. Elas já afirmaram que uma equipe multidisciplinar será encaminhada para auxiliar as famílias. Em nota, o governo decretou luto oficial de três dias em solidariedade a todos os envolvidos no que chamou de lamentável acontecimento.

Não perca a nossa página no Facebook!