Já mostramos neste na BlastingNews, diversos casos envolvendo violência sexual em todos os cantos do mundo. Na maioria desses casos, os agressores são pessoas da própria família, o que torna o ato ainda mais desprezível e inaceitável.

Percebemos que os governantes têm trabalhado juntamente com as autoridades policiais para combater esse tipo de situação, porém, aqui no Brasil, esse feito ainda não se concretizou, pois dia a dia surgem novos casos de violência sexual, principalmente contra mulheres.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha, uma em cada três mulheres já sofreu algum tipo de violência no Brasil. Somente em casos de agressões, a pesquisa apontou o número de 503 mulheres vítimas a cada hora. Esse número é alarmante e tem sido preocupante nos últimos meses.

Homem dopa e estupra a própria filha de 16 anos; a vítima tentou se suicidar após o ocorrido

Mais um caso vem trazendo revolta nas redes sociais. Desta vez, o ocorrido foi na pequena cidade de Peritoró, localizado no estado do Maranhão.

A Polícia Militar foi acionada, após receber a denúncia de que um homem havia violentado a própria filha, de apenas 16 anos.

Era por volta das 16h, quando os policiais chegaram a Rua do Filipinho, em Peritoró. Os policiais informaram que o acusado, João Tiago de Souza, ao perceber a presença da guarnição, tentou evadir-se do local, porém, logo foi capturado e encaminhado à delegacia do município.

Os policiais ainda afirmaram que o acusado teria cometido o crime de estupro após dopar a vítima com o uso de drogas.

Ele esperou ela ficar totalmente debilitada e iniciou a sessão de tortura e violência sexual. O caso gerou grande revolta entre os populares do município.

No mesmo dia do ocorrido, ao se recuperar dos efeitos das drogas, a jovem abusada, tentou contra a própria vida. Ela se sentiu arrasada com tudo o que lhe aconteceu e planejou o próprio suicídio, porém, por um milagre, a tentativa acabou falhando.

Populares e amigos da adolescente utilizaram as redes sociais para deixar mensagens de conforto, pedindo que ela não tentasse contra a própria vida, pois ela ainda teria um futuro brilhante pela frente e que o ocorrido, mesmo sendo absurdo, não iria fazer dela uma pessoa inferior, mas que ela daria a volta por cima e mostraria para todos o quanto ela é forte.

A população também pedia que a Justiça agisse rápido contra o agressor e que o mesmo ficasse pelo resto da vida preso pelo crime cometido. Algumas pessoas chegaram a comentar em grupos de WhatsApp que alguns detentos já estariam sabendo da ocorrência e que o acusado já estaria sendo aguardado pelos demais presos que, nos relatos, prometiam fazer justiça com as próprias mãos.

Essa informação sobre as ameaças dos detentos para o acusado não foi confirmada pela polícia, porém, no Brasil, em casos de estupros, geralmente o acusado acaba sendo penalizado pelos próprios companheiros de cela.

Não perca a nossa página no Facebook!