Em meio à discussão calorosa a nível nacional sobre a liberação do porte e uso de armas de fogo por pessoas civis, um crime que aconteceu no colégio Goyases nesta sexta-feira (20), onde duas crianças acabaram morrendo, pode ser levado em consideração a respeito da discussão sobre a continuação da proibição do uso de armas de fogo. Isso porque o jovem acusado de matar João Vítor Gomes, de 12 anos, e João Pedro calendário, de 13, também estudava com eles e possui apenas 14 anos.

Publicidade
Publicidade

O crime aconteceu em uma escola privada de ensino fundamental localizada em Goiânia - GO. O acusado de ter cometido crime não teve o seu nome divulgado e estava no oitavo ano no mesmo colégio em que as vítimas foram baleadas.

Jovem matou seus amigos após sofrer bullying

O jovem foi para aula normalmente como ia todos os dias e resolveu atacar os seus amigos somente no final da aula, por volta de 11h50. Além das duas crianças que faleceram, outras quatro ficaram feridas e continuam recebendo cuidado médico. Nenhuma delas corre risco vida e a motivação do crime seria por causa de bullying sofrido pelo adolescente constantemente dentro da instituição.

Arma do pai que é coronel da Polícia Militar foi utilizada em crime na escola em Goiânia

O jovem teria roubado a arma, uma pistola de 40 mm do seu pai, que é um coronel da Polícia Militar. O fato endossa a discussão sobre a facilidade do acesso ao porte de arma. Mesmo com o controle eficaz das autoridades sobre o porte de armas, até mesmo elas podem ser reféns da utilização indevida do porte de arma. Da mesma forma, que o adolescente que cometeu o ataque contra os seus amigos fez, outros adolescentes teriam acesso às armas, e consequentemente esses casos iriam aumentar, caso elas fossem liberadas para uso de civis.

Publicidade

Acusado foi preso momentos depois perto da escola em que o crime aconteceu

Uma arma dentro de casa fez com que o crime fosse facilitado, levantando uma indignação da população diante da tragédia. Uma professora chamou uma equipe médica de pronto-socorro dez minutos depois que o ataque aconteceu. Segundo informações divulgadas, o adolescente sofria bullying dentro da escola, onde os outros alunos reclamavam sobre o seu mau cheiro.

O acusado foi preso momentos depois do crime nas imediações da escola, abalado pelo que fez em estado de choque.

A escola ainda não se pronunciou sobre a tragédia que resultou na morte de dois alunos dentro da instituição.

Leia tudo