Um massacre ocorrido no colégio Goyases, em Goiânia, tem aterrorizado o país. No intervalo de uma das aulas, o adolescente J.C sacou uma arma de fogo e efetuou vários disparos contra os colegas de sala, 2 alunos morreram na hora e outros 4 seguem internados, alguns em estado grave.

Pouco se sabe sobre os motivos que levou o jovem a cometer a atrocidade. Mas, através de investigações preliminares, foi constato que J.C era alvo de bullyng durante as aulas.

Publicidade
Publicidade

Em uma entrevista exclusiva para o site “R7 Notícias”, colegas de sala disseram que o jovem era uma vítima frequente das gozações dos colegas.

Uma das colegas que estudavam com J.C disse que alguns alunos zombavam dele e dizia que ele tinha um mau cheiro. A mesma garota relatou que, recentemente, o aluno João Pedro Calembo levou para a sala de aula um desodorante e obrigou J.C usar. Certamente, essa foi uma das principais revoltas do aluno já que o fato aconteceu na última quarta-feira (18).

Familiares das vítimas estão desamparadas
Familiares das vítimas estão desamparadas

Calembo foi uma das vítimas fatais de J.C. A estudante disse que Calembo sentava logo atrás do atirador e que todas as outras vítimas também se sentavam próximo a ele.

A outra vítima fatal foi João Vitor Gomes. Vitor era um dos melhores amigos de J.C, porém, acabou sendo alvejado e morreu no local. “"Ele matou o melhor amigo", conta uma das alunas.

Momentos de pânico

Os alunos que estavam na sala de aula disseram que foram momentos de pânico e medo.

Publicidade

Uma outra aluna disse que estava na porta próximo a uma das professoras quando ouviu o primeiro disparo. De início, ela não viu do que se tratava. Disse que pensava que era alguns dos experimentos que estavam sendo feitos na sala que teria dado errado. Ao ver a arma de jogo na mão de J.C, ela disse que pegou na mão de sua amiga e saiu correndo. Elas foram até à polícia para contar o que estava acontecendo.

Outros alunos chegaram a pensar que eram balões que estavam estourando, até que uma pessoa gritou: “É tiro”.

Perfil do atirador

Os colegas de sala de J.C disseram que ele tinha uma personalidade um pouco diferente dos demais alunos. Eles disseram que ele lia livros satânicos e que dizia que iria matar alguns colegas, no entanto, ninguém levava seus comentários a sério.

Responsabilidade da escola ou dos pais?

Nas redes sociais tem surgido um grande debate sobre quem seria o principal responsável pela conduta de J.C. Muitos dizem que a escola deveria ter tomado partido sabendo que ele era vítima de bullyng.

Publicidade

Leia tudo e assista ao vídeo