Um atirador cruel matou cinco pessoas conhecidas, sendo um vizinho, um rival e outras três pessoas da mesma família. Antonio Ricardo Gallo, o atirador de 28 anos, cometeu o crime nesta segunda-feira, 30.

Entre os mortos que foram confirmados, o próprio pai do autor, uma irmã e o vizinho. Entretanto, na tarde desta segunda, um outro corpo foi encontrado carbonizado dentro da casa que ele também ateou fogo. O Corpo de Bombeiros suspeita ser uma outra irmã. A quinta vítima é um homem que era o atual companheiro da ex-namorada de Gallo.

A ex-namorada também foi baleada, mas ainda sobrevive e tem um quadro estável de saúde.

O crime aconteceu no município de Campinas, no distrito de Sousas.

Assassinato e incêndio

O crime aconteceu por volta das 6h da manhã desta segunda-feira, conforme relato do G1. O atirador se aproximou da casa da família e fez sua primeira vítima, sua irmã, Ana Cristina Gallo, 29 anos, que estava indo para o trabalho.

A próxima vítima foi seu próprio pai, Antonio Valentim Gallo, de 60 anos, que estava diante da casa.

Um vizinho se aproximou para ver o que estava acontecendo e recebeu um tiro de Gallo. Ele é Elenilson Freitas do Nascimento.

Ele entrou na casa e viu sua irmã com down com outra criança. Elas foram poupadas. A criança seria um sobrinho, filho de Alexandra Gallo, irmã que morreu.

A outra vítima encontrada carbonizada no fundo da casa, segundo os Bombeiros, também levou um tiro na cabeça. Suspeita-se ser outra irmã do atirador, já que ela estava na casa e está desaparecida.

Suicídio

Depois da chacina, Gallo ainda colocou fogo na pequena casa, antes de tentar fugir.

Ele entrou no carro, mas ao avistar policiais, atirou na própria cabeça.

Ele portava dois revólveres calibre 38. Também foram encontrados no veículo 26 munições não deflagradas, além de um cinto para acondicionamento das armas.

Motivação do crime

Durante as investigações, a polícia ouviu alguns familiares e conhecido das vítimas que revelaram que a motivação do crime foi por conta da pequena casa onde pai e irmãs moravam. Ao que relatam as testemunhas, o homem se envolveu numa briga da família pela casa e deu-se a tragédia.

A Polícia Civil irá pedir o exame toxicológico do autor.

Gallo já tinha passagens pela polícia e uma ordem judicial o impedia de chegar perto da família.

Moradores do distrito de Sousas estão em choque por conta do crime tão brutal. As crianças poupadas estão com familiares próximos e passam bem, dentro do possível.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo