Uma notícia muito triste abalou os brasileiros na última sexta-feira, 20 de outubro. Um menino, de apenas 14 anos de idade, teve a coragem de matar dois dos seus colegas e ainda ferir mais 4. Um dos alunos feridos está em estado bastante grave. Essa tragédia aconteceu em uma escola particular da cidade de Goiânia(GO), na escola Goyases.

João Pedro Calembo e João Vitor Gomes foram as vítimas fatais dessa tragédia. Eles são apontados como os supostos autores do bullying. Os garotos tinham 13 anos de idade e depois de algumas acusações de que os dois faziam muito bullying com o atirador, a mãe de Calembo resolveu falar sobre o assunto.

Ela pediu que as pessoas não julguem o seu filho porque, segundo ela, a história é completamente diferente de tudo o que os jornalistas estão divulgando na imprensa. Contou também que só ela e a Instituição sabiam de toda a verdade.

Os pais de João também se manifestaram em entrevista que eles fizeram na TV Anhanguera. Os jornalistas perguntaram qual a opinião deles sobre a tragédia e para eles quem são os verdadeiros culpados.

Mãe se indigna e revela verdadeiros culpados pela morte precoce do seu filho de 13 anos

O pai de João mostrou-se bastante inquieto durante a entrevista. Ele estava muito mal e chocado. João foi o primeiro filho do casal, que culpa os pais do atirador pela morte do seu filho. A mãe do menino morto pelo aluno não tem nenhuma dúvida em dizer que o garoto tem culpa sim, mas os pais estão no mesmo nível.

Katiuscia, mãe de João, disse que está tentando entender o porquê de um garoto ter acesso fácil a uma arma. O menino atirador tem muita habilidade com as armas, sabe travar e destravar. 'Sozinho ele não aprendeu', contou a mãe.

Mãe de menino morto por atirador confessa que não está revoltada, mas sim indignada com o que aconteceu com o seu filho

Katiuscia disse que não está nem um pouco revoltada com a situação e que seu sentimento é de indignação.

Também revelou que o seu filho nem tinha desafeto com ele. Segundo ela, nada justifica a morte do seu filho. Ainda de acordo com a mãe da vítima, o João e o atirador eram super amigos e até jogavam RPG juntos.

O que aconteceu com o atirador de Goiânia?

O que se sabe é que ele está detido provisoriamente por um período de 45 dias. A Vara da Infância e Adolescência foi quem fez o pedido do afastamento. O garoto deve ficar separado dos outros internos, já que poderá correr riscos devido a sua integridade física.

Não perca a nossa página no Facebook!