Alguns crimes, devido à sua gravidade e repercussão, jamais deixam a mente das pessoas. Por isso, até hoje muitos lamentam o que aconteceu com a pequena Isabella Nardoni, de cinco anos de idade, morta pelo próprio pai e por sua madrasta.

A mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, sofreu e sofre muito até hoje pela morte de sua filha. Os brasileiros continuam indignados com o ocorrido, e volta e meia voltam a desejar que Anna Carolina Jatobá, madrasta de menina, e Alexandre Nardoni, seu pai, continuem presos pelo resto de suas vidas.

'Bom comportamento' na prisão garante liberdade

No entanto, os dois têm se comportado 'muito bem' na cadeia, o que fez com que a Justiça concedesse um indulto de Dia das Crianças para Anna Jatobá.

Ou seja, nessa quinta-feira (12), a madrasta foi solta para ficar com a família.

Ana Oliveira se pronuncia sobre o ocorrido

Quase dez anos depois do crime, que aconteceu no ano de 2008, a mãe da pequena Isabella quebrou o silêncio e se pronunciou sobre o indulto, mostrando toda a sua indignação diante da ironia dos fatos. Isso porque Anna Jatobá, que foi capaz de matar uma criança de apenas cinco anos de idade, ganhou alguns dias de liberdade bem no Dia das Crianças.

Relembre o crime

No dia 28 de março de 2008, no Edifício London, na zona norte de São Paulo, Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá assassinaram Isabella, agredindo-a antes de sua morte, pois a perícia policial confirmou que havia encontrado manchas do sangue da criança no carro da família.

Isabella foi encontrada no chão do edifício, já sem vida, após ter sido jogada do sexto andar do edifício.

Na época das investigações, os responsáveis pelo crime alegavam que, enquanto estavam buscando as compras que haviam sido feitas em seu carro, alguém havia adentrado o apartamento e jogado a menina lá de cima.

No entanto, essa hipótese foi descartada pela polícia, que disse não haver tempo para alguém cortar a tela de proteção do local e sair sem deixar rastros.

A condenação

Alexandre Nardoni foi condenado a 31 anos, 1 mês e 10 dias de prisão, pois teve seu crime agravado por conta da vítima ter sido sua própria filha biológica.

Já a madrasta foi condenada a 26 anos e 8 meses presa. No entanto, a pena dos dois pode vir a ser reduzida por fatores como 'bom comportamento' e ausência de outros antecedentes criminais antes do crime.

Além disso, agora eles passaram a receber indultos durante feriados e outras datas importantes.

Não perca a nossa página no Facebook!