No Colégio Goyases, em Goiânia (GO), nesta sexta-feira (20), um adolescente de 14 anos, filho de policiais militares, atentou contra os colegas de sala de aula. Ele assassinou dois adolescentes e feriu outros quatro. O atirador informou a polícia que inspirou-se nos ataques de Realengo, no Rio de Janeiro, e no de Columbine, dos Estados Unidos.

Os dois Estudantes assassinados foram identificados como João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, ambos de 14 anos, e vieram a óbito na sala de aula. O ataque ocorreu as 11h50 dessa sexta-feira, dentro da sala do 8° ano.

Colegas relataram que ouviram um barulho e em seguida viram o adolescente retirando a arma de sua mochila. Segundo os alunos, ele descarregou um pente de balas e carregou outro, mas deu somente mais um tiro, pois foi convencido pela coordenadora a travar a arma.

Contido pela coordenadora, ele foi conduzido até a biblioteca para aguardar os policiais. O menor foi apreendido e encaminhado para a Delegacia Estadual de Apuração de Atos Infracionais (Depai).

Os outros quatros estudantes que sobreviveram ao atentado estão feridos, sendo três meninas e um menino.

Eles estão internados em um hospital da capital goiana. Hyago Marques e Marcela Rocha Macedo, ambos de 13 anos, foram atingidos no tórax. Ele não precisou passar por cirurgia. Segundo informações, o adolescente está acordado e respirando normalmente. Já Marcela teve o pulmão esquerdo perfurado, passou por cirurgia e não corre risco de morte.

Isadora de Morais segue Internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hugo (Hospital de Urgências de Goiânia). Ela foi atingida também no tórax, mas teve o pulmão perfurado e encontra-se em estado grave, correndo risco de morte.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Educação

Lara Fleury Borges está internada na enfermaria do Hospital dos Acidentados em estado estável e respirando sem ajuda de aparelhos.

O que motivou o atentado, segundo depoimento do estudante à polícia, foi que estava sofrendo bullying. O adolescente ainda afirmou que estava planejando o incidente há dois meses, inspirados em outros casos.

O autor do crime informou a policia que primeiro disparou contra João Pedro, pois era quem fazia bullying com ele, e em seguida “teve vontade de atirar contra mais pessoas", informou o delegado Luiz Gonzaga Júnior, titular da Depai.

O delegado ainda informou que o menor chegou a atentar contra a própria vida, tentou se matar colocando a arma contra a cabeça, até que foi contido pelo professor. A arma utilizada, uma pistola ,40, pertence a sua mãe, que é policial militar, assim como seu pai. O menino sabia onde os pais guardavam a arma e munições.

A escola particular de ensino fundamental tem em seu corpo estudantil crianças e adolescentes do 1º ao 9º ano , com idades entre 6 e 15 anos. Foi afixada no portão uma faixa de luto .

Massacre de Columbine e Realengo

O massacre de Columbine, nos Estados Unidos, ocorreu em abril de 1999, e deixou 12 alunos e um professor mortos. Em Realengo, no Rio de Janeiro, na Escola Municipal Tasso da Silveira, em abril de 2011, 12 pessoas foram mortas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo