Nesta última quarta-feira (18), o Contran que é o Conselho Nacional de Trânsito divulgou uma nova alternativa que permite realizar o Pagamento de multas de trânsito utilizando os cartões de crédito ou débito.

Com essa nova resolução a multa poderá ser parcelada, no entanto com o acréscimo de juros que pode variar de acordo com a entidade financeira do cartão, da mesma forma que é feita a cobrança de compras a prazos que não são parceladas pela própria loja. Esse novo método já entrou em vigor, porém cada corporação de trânsito ainda precisa preparar as operadoras de cartão para disponibilizar o serviço, que ainda não é obrigatório.

Segundo o site G1, algumas unidades do detran e prefeituras já estão realizando o parcelamento através de documentos de arrecadação, em geral com o pagamento da primeira parcela no ato de assinar o termo de adesão. Segundo o diretor do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Elmer Vicenzi, a maioria das pessoas efetuava esse tipo de pagamento somente para regularizar a documentação do veículo, conseguir o licenciamento ou realizar a transferência para terceiros, no entanto, não pagavam o restante das parcelas.

Essa nova forma de pagamento oferecerá novas alternativas de pagamento ao habilitar empresas financeiras para fornecer o serviço, assim a utilização do cartão facilitará o pagamento e quitação das dívidas para os proprietários de veículos. Antigamente apenas multas aplicadas em veículos registrados no exterior poderiam ser pagas através de cartões de crédito e débito.

Em pouco tempo após a divulgação, a notícia repercutiu na internet e algumas pessoas registraram suas opiniões como podemos ver abaixo:

No site G1 o internauta expressou: "A intenção é só arrecadar, é uma espécie de fábrica de multas. Não há o interesse em orientar, ou humanizar o trânsito. Cria-se toda uma estrutura, e cabide emprego, e depenam o proprietário de carro, que já paga tatos impostos, sem o retorno, em forma de boas estradas, e ruas com menos buracos e asfalto ruim, quando tem."

Já um outro usuário rebateu comentando: "Se você fez autoescola, deve ter aprendido que quando NÃO tem SINALIZAÇÃO, nas vias urbanas o CTB estabelece os seguintes limites de velocidade: 80 km/h nas vias de trânsito rápido, 60 km/h nas vias arteriais, 40 km/h nas vias coletoras e 30 km/h nas vias locais".

O que você achou da nova resolução de pagamento? Deixe também o seu comentário, queremos saber a sua opinião.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo