Na última sexta-feira, 20 de outubro, os brasileiros ficaram chocados com uma notícia terrível de um garoto que matou dois colegas de turma e ainda feriu mais quatro alunos. Ele tem apenas 14 anos de idade e seu crime está gerando discussão no Brasil inteiro.

A tragédia aconteceu na cidade de Goiânia, Goiás. As vítimas foram dois meninos de 13 anos, João Pedro Calembo e João Vitor Gomes. Ambos foram enterrados no último sábado, 21 de outubro. O pai de João Pedro revelou que não pretende julgar o menino que foi responsável pela morte do seu filho, e sim entender o que aconteceu e perdoar.

Pai de atirador afirma que não sabia que o filho sofria bullying na escola

A hipótese mais provável é que o menor fez essa brutalidade porque sofria bullying no colégio. Alguns relatos afirmam que o atirador era chamado de 'fedorento' e um garoto até levou um desodorante para ele. O pai do atirador disse que não sabia de nada. Ele ainda se defendeu de algumas acusações e contou que nem ele e nem a sua mulher, que também é PM, ensinaram o garoto a atirar. Contou também que a arma ficava em cima de um guarda-roupa, muito distante da munição.

O policial não soube explicar como o seu filho teve acesso à arma, já que a munição estava trancada em uma gaveta. Muitas pessoas ficaram assustadas com as informações do PM.

O pai do atirador ainda disse que passou a manhã junto com o seu filho e que no período da tarde foi informado do crime.

Já que ele deixou a arma acessível ao garoto, o PM e a sua mulher devem prestar esclarecimentos e serão investigados pelos policiais.

Menino que atirou em estudantes deve ficar apreendido por três anos

No momento, o adolescente que matou seus colegas está apreendido. O jovem ficará 45 dias dessa forma, até que os órgãos superiores definam o destino do garoto. O mais provável é que ele seja transferido para um reformatório. A pena estabelecida para quem é apreendido é de três anos.

Pais das vítimas falam sobre o acontecimento

Um pai de uma vítima que morreu falou sobre o atirador e chocou a todos com a sua afirmação.

Ele revelou que o adolescente merece ser perdoado pelo crime cometido.

Já o pai de uma outra vítima contou que o jovem tem culpa, mas os pais são os verdadeiros culpados. Segundo ela, eles ensinaram o garoto a atirar, porque não é fácil manusear uma arma.

O Brasil inteiro está em choque com esse crime terrível porque muitas pessoas não entenderam porque uma criança não está segura nem em uma escola. Essa tragédia poderia ter sido evitada se, por exemplo, tivesse fiscalização​ na instituição.

Não perca a nossa página no Facebook!