Entre as vítimas do incêndio na creche em Janaúba, Norte de Minas Gerais, Helley Abreu entrou em luta corporal com o vigia e criminoso Damião Soares dos Santos, 50 anos, com a esperança de salvar os alunos da creche, na qual era professora. O delegado Bruno Fernandes diz que a conduta dela foi ‘’heroica’’, pois mostrou que estava ali realmente pra proteger todas aquelas crianças, e relata seu agradecimento para a educadora, de 43 anos.

Durante a luta, ela teve 90% do corpo queimado, não resistindo aos ferimentos e falecendo no hospital aproximadamente 11 horas depois do ocorrido.

Além da morte da professora Helley, também faleceram cinco crianças. Isso aconteceu devido a atitude de Damião Soares, de 50 anos, que ateou fogo em seu corpo e nos alunos da creche em Janaúba, o Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente. Ele morreu no hospital poucas horas depois do crime.

Entre as pessoas que trabalhavam na creche, Helley é considerada guerreira. Outros relatos informam o quanto que ela sempre cuidou dos alunos, fazendo tudo muito disposta. Eliane Faria é pedagoga e trabalhou como supervisora em uma escola onde a professora da creche lecionou no ano de 2016.

Eliane disse em entrevista: “Ela era muito cativante, alegre e conseguia envolver cada aluno com seu olhar peculiar. Ser professor é ser Helley Abreu”.

A professora que morreu era casada e deixa três filhos, um bebê de 1 ano e duas crianças de 11 e 13 anos. A ex-colega de trabalho prossegue, dizendo como ela alegre, e de bem com a vida, cheia esperança. Eliana disse o quanto se encontra desolada, pois perdeu uma grande amiga e colega de profissão.

A Prefeitura de Janaúba informou que Helley Abreu tinha contrato com o município desde o ano de 2016 e começou a trabalhar no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente neste ano. A professora está sendo velada, e o enterro vai ser às 16h desta sexta-feira (6), no Cemitério São Lucas, em Janaúba.

O hospital da cidade informou que cinco crianças de 4 anos morreram na tragédia que aconteceu na creche, além do autor do crime e da professora.

Foi indicado pela perícia que o vigia trancou exatamente três salas, onde tinha cerca de 50 e 60 pessoas. Ele retirou um galão da mochila, jogou álcool nas crianças e ateou fogo. O criminoso segurou as crianças, impossibilitando que conseguissem sair. Morreram na tragédia:

  • Ana Clara Ferreira Silva, 4 anos;
  • Luiz Davi Carlos Rodrigues, 4 anos;
  • Juan Pablo Cruz dos Santos, 4 anos;
  • Juan Miguel Soares Silva, 4 anos;
  • Renan Nicolas Santos, 4 anos;
  • Helley Abreu Batista, 43 anos;
  • Damião Soares dos Santos, 50 anos.
Não perca a nossa página no Facebook!