Na manhã desta sexta-feira (20) no Colégio Goyases, escola particular em Goiânia (GO), um jovem de 14 anos entrou na sala de aula e atirou contra seus colegas. Dois estudantes morreram no hora e outros quatros foram feridos e foram internados, alguns em estado grave. O crime aconteceu por volta das 11h50. Testemunhas disseram que o atirador, J.C., cursa o 8º ano do ensino fundamental e usou da arma do pai, que é policial militar, para fazer os disparos.

Testemunhas disseram que a intenção de J.C.

Publicidade

era de efetuar mais disparos, mas foi surpreendido por um dos pais dos alunos, que o impediu de recarregar a arma. Colegas da sala do autor dos disparos relataram como era o convívio dele com outros alunos. Eles disseram que o atirador não tinha um bom convívio com alguns alunos.

Ele era frequentemente vítima de bullyng. Eles diziam que J.C. tinha mau cheiro e que não se cuidava direito. Recentemente, um dos alunos que praticava o bullyng chegou a levar um desodorante para a sala de aula e obrigou J.C.

usar. Esse caso aconteceu na quarta-feira (18) e, talvez, tenha sido um dos motivos que levou o adolescente a efetuar os disparos.

Uma estudante que estava na sala de aula disse que viveu momentos de terror. Ela falou que estava na porta da sala junto a uma professora. Nesse instante, ela ouviu o primeiro disparo. No entanto, pensou que se tratava do experimentos que os alunos estavam fazendo na sala. Quando os disparos continuaram, alguém gritou “é tiro”, nesse momento, a aluna pegou a mão de uma colega e saiu correndo. As duas foram até a delegacia e comunicaram o que estava acontecendo.

Publicidade

Mortos

João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, morreram na hora. Ambos tinham 14 anos e se sentavam próximo à J.C. Segundo relato das testemunhas, Calembo é o garoto que levou o desodorante para a sala de aula e obrigou o atirador a usar.

João Vitor era amigo do atirador, mas também veio a falecer. Uma colega de classe lamentou a morte de Vitor: “Ele matou o próprio amigo”, disse emocionada.

Feridos

Além dos mortos, outros 4 adolescentes foram feridos. Veja quem são:

Hyago Marques: foi atingido no peito.

Seu ferimento não é grave. Ele passou por alguns procedimentos médicos e segue em observação.

Isadora de Morais: também levou um tiro no peito e está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Seu estado é mais grave do que do Hyago. O tiro perfurou o pulmão e gerou maiores complicações.

Lara Fleury: também tomou um tiro no peito. Seu estado de saúde não é grave e ela já está consciente.

Marcela Rocha: Ela teve o pulmão perfurado. Após passar pelo atendimento médico, seu estado de saúde é estável.

Publicidade