O vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, responsável pela tragédia de Janaúna, em Minas Gerais, que matou crianças e uma educadora, foi enterrado nesta sexta-feira (6). Tudo ocorreu por volta das 16h, e foi feita uma pequena cerimônia discreta.

O que mais chamou a atenção foi que na cerimônia os próprios parentes de Damião não compareceram. De acordo com informações do gerente do cemitério, Miguel Fernandes Vasconcelos, no velório de Damião, apenas os funcionários da funerária estavam presentes.

Vigia de creche chocou o país após atear fogo em professora e crianças, em Minas Gerais

O crime foi registrado na quinta-feira (5). O vigia Damião Soares dos Santos jogou álcool em várias partes da Creche, depois ateou foto nele e nas crianças. Na ocorrência, a polícia confirmou a morte de sete alunos. Damião só veio a óbito quase seis horas depois do ocorrido.

O gerente do cemitério ainda confirmou que Damião foi enterrado no mesmo local que o pai dele, falecido em outubro de 2014, mesma data que Damião marcou para cometer o crime contra as crianças da creche.

“Ninguém compareceu, só ficou o pessoal da funerária no local, nem mesmo a família, nem amigos estiveram presentes”, finalizou.

Segundo informações da polícia do município, os familiares de Damião teriam optado por não velar o corpo por medo de que pudessem sofrer algum tipo de retaliação por parte da população, que ainda hoje não se conforma com tamanha barbaridade cometida pelo vigia.

Professora morta quando tentava salvar criança teve enterro comovente

Damião teve o corpo enterrado minutos antes do corpo da professora Helley Abreu Batista sair em cortejo pelas ruas do município. Ao contrário de Damião, uma multidão seguia acompanhando o caixão da professora em direção ao cemitério.

Segundo divulgação do hospital da cidade, a professora teve cerca de 90% do corpo queimado e acabou falecendo ao dar entrada no hospital. Testemunhas informaram que ela teria entrado em luta corporal com o autor do crime, quando tentava salvar as crianças.

Antes mesmo do corpo da professora chegar, o cemitério já estava cheio de pessoas, que aguardam o corpo dela e de Renan Nicolas Santos, um menino de 4 anos que também morreu no ataque.

Alguns populares, sem saber que Damião já havia sido enterrado, chegaram a afirmar que ele não poderia ser enterrado no mesmo local aonde viria as vítimas.

Damião foi enterrado na mesma cova do pai, porém, nem a cruz de identificação foi colocada em seu túmulo. A empresa responsável pelo sepultamento não soube informar quem teria arcado com as despesas do velório de Damião, pois, todo o acordo teria sido feito por telefone.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo