Um crime voltou a chocar o estado de Goiás e por mais que não haja uma correlação direta com o o caso de Goiânia, do colégio Goyases, sempre haverá a lembrança. Desta vez o crime aconteceu em Alexânia, uma cidade que fica na metade do caminho entre Brasília e Goiânia, às margens da BR 020. Um homem de 19 anos, identificado como Misael Pereira Olair, foi preso pelo assassinato de Raphaella Novinski, de 16. A motivação e a premeditação do crime assustaram a pequena população da cidade goiana.

Segundo relatos da delegada da Polícia Civil da cidade, Rafaela Azzi, o homem foi detido por populares ao sair da escola, após cometer o crime e logo a PM local chegou e efetuou a prisão do atirador, nesta segunda-feira, 6.

Ainda conforme relato da delegada, Misael não estudava na mesma escola, mas os dois eram vizinhos e se conheciam de vista há algum tempo. O assassino ainda revelou que premeditou por cerca de um ano o crime.

Atirador mata menina de 16 anos em escola de Goiás

Misael Olair foi preso e as oitivas indicaram a premeditação do crime. O homem confirmou que precisou de um ano para juntar R$ 2.300,00 para poder adquirir a arma usada no crime, um revólver calibre 32, além das munições.

Consigo o assassino ainda carregava uma máscara, uma faca e chumbinho para matar ratos, que também mata seres humanos.

O crime foi tratado como feminicídio, crime passional, com qualificadoras. A delegada confirma o enquadramento de feminicídio, já que o assassino viu a vítima como propriedade dele e desqualificando o gênero da vítima.

Motivação do crime assusta a população

Segundo o depoimento de Misael, ele conhecia a vítima há mais de um ano e tentou se relacionar com Raphaella. Ela, porém, não aceitou a relação e não quis papo com o homem. Ele chegou a adicioná-la em seu Facebook, mas a moça também não o aceitou.

A situação gerou 'revolta' no assassino, que planejou por um ano matar a mulher que o desprezou.

Demorou um ano, pois foi o tempo que ele demorou para juntar o dinheiro para comprar a arma.

Ele também não mostrou arrependimento pelo crime. Ele também explicou que o chumbinho era para ele se matar, mas como foi preso antes, não conseguiu.

O crime

A jovem que cursava o 9º ano foi morta nesta segunda, 6, às 7h50 no Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia. O assassino entrou na escola, chegou a entrar em uma sala, que não era a da vítima, voltou, entrou em outra e quando a avistou disparou 11 tiros em seu rosto.

Cabe ressaltar que ele teve tempo de deflagrar as 6 cápsulas, abrir o tambor, recolocar novas cápsulas e disparar novamente contra a vítima. Ele tentou fugir, mas foi preso a cerca de 300 m da escola. Um outro homem foi preso, Davi José de Souza, de 49 anos, que o ajudaria a fugir.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo