Uma mãe de 36 anos, que não teve a sua identidade revelada, foi presa em flagrante delito, nesta quarta-feira (8), na cidade de Juiz de Fora, interior de Minas Gerais, após comparecer a unidade policial para efetuar uma denúncia por estupro contra a filha de 12 anos. Segundo informações das polícias Militar e Civil, que está investigando o caso, a mulher foi presa, autuada e liberada em seguida, pois, compareceu na delegacia para denunciar o crime de estupro e acabou deixando seu filho de apenas 6 anos sozinho na sua residência.

Por isso, acabou cometendo o crime de abandono de incapaz.

A Polícia Civil informou ainda que a mulher compareceu na delegacia juntamente com a menor e o ex-marido, que é pai das duas crianças, onde relatou o crime de estupro contra sua filha de 12 anos. Ela disse que .no dia 28 de outubro, soube que a filha teria supostamente realizado relações sexuais, dois dias antes, com um rapaz de 20 anos de idade, que havia conhecido em uma festa universitária em Juiz de Fora.

A mulher informou ainda que o ato aconteceu no dia 26, no período da tarde, quando ela havia saído de sua residência para trabalhar, e deixou seus dois filhos sozinhos.

No registro do boletim de ocorrência, a mulher disse que ficou sabendo do abuso quando a filha resolveu contar para a mãe, pois estava com ferimentos nas partes íntimas.

Para cuidar da filha, acabou indo até farmácia e comprou remédios. O ex-marido ficou sabendo do que ocorreu somente na última quarta-feira (8), quando resolveram ir até o plantão policial denunciar o caso. Para completar, a mulher informou aos policiais que precisava ir embora logo, pois teria deixado seu filho de 6 anos sozinho em casa.

Por isso, ela foi autuada pelo crime de abandono de incapaz, já que o garoto, diante da ausência da pessoa que tem a guarda, vigilância e proteção, acabando ficando vulnerável. Logo após realizar os procedimentos iniciais, a polícia entendeu que ela podia ser liberada.

A adolescente de 12 anos foi imediatamente encaminhada para o Hospital de Juiz de Fora, onde foi medicada e realizou exames, que comprovaram a conjunção carnal, mas o resultado do exame não conseguiu concluir sobre o ato libidinoso.

O caso de estupro será investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher de Juiz de Fora, e o crime de abandono de incapaz pela 2º Delegacia de Polícia Civil. O suspeito pelo crime de estupro não havia sido localizado. O caso está sendo investigado.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!