Na última quinta-feira (2), três mães procuraram a 8ª Delegacia Regional de Rio Verde, em Goiás, pois seus filhos foram agredidos na Escola. A autora das agressões foi a professora da Escola Municipal Areno Martins Vieira, em Lagoa do Bauzinho, distrito de Rio Verde.

As mães foram à polícia e não procuraram a escola

As mães de três crianças, todas com apenas seis anos, ficaram apavoradas com a atitude da professora da escola pública, se uniram e denunciaram a mulher à polícia militar,

De acordo com informações do G1, a Secretaria da Educação investiga o caso e vai responsabilizar os culpados em caso de agressão, mas nem a secretaria e nem a escola foram comunicadas anteriormente sobre as agressões e não foram procuradas pelas famílias das vítimas.

As mães das crianças buscaram direto auxílio da polícia.

Uma das mães encontrou manchas roxas no braço do filho, que revelou que havia sido a professora. Então ela procurou outras mães e descobriu mais duas crianças vítimas dos maus tratos da professora.

As agressões deixaram marcas em pelo menos três crianças

Segundo relatos das crianças, a professora puxava os cabelos, apertava o pescoço, dava beliscões e jogava as crianças contra as carteiras. Em todas as três crianças foram encontrados hematomas nos braços e no corpo.

Uma das meninas revelou que durante o lanche a docente a forçou a comer e ela acabou vomitando, pois não queria mais se alimentar.

Um dos alunos contou que a professora o enforcou, quando ele estava próximo à mesa dela, além disso ela já havia feito outras agressão ao menino: 'Pegava nosso braço, jogava a gente na mesa, pegava nossos cabelos, levantava para cima, pegava nossas blusas e jogava no chão também', disse ele.

Os relatos das crianças demonstram que a professora nem sempre foi assim, mas de um período recente ela tem tratado os alunos com raiva e tem ameaçado as crianças, agindo com muita truculência.

As crianças estão com medo da docente e, inclusive, um dos alunos agredidos fica em pânico quando tem que ir à escola. A mãe da criança já comunicou que vai tirar o filho da escola se a professora continuar lecionando lá.

A Secretaria da Educação investiga o caso

As marcas nessas crianças não são apenas físicas, são mentais também, pois elas estão com medo até de retornar à escola. A Secretaria da Educação disse que está investigando o caso internamente e quando houver comprovação sobre as agressões, os responsáveis pagarão pelos seus atos.

Não perca a nossa página no Facebook!