A manhã desta segunda-feira (6) começou com mais uma tragédia envolvendo jovens dentro de uma escola em Goiás. Raphaella Novisnki, de apenas 16 anos, foi brutalmente assassinada dentro da sala de aula do Colégio Estadual 13 de Maio, em Alexânia, no entorno do Distrito Federal, onde estudava.

Segundo Rafaela Azzi, delegada de polícia responsável pelo caso, Misael Pereira Olair ,de 19 anos, usou uma máscara para cometer o crime. Ele pulou o muro da escola e foi até onde a menina estudava e fez os disparos.

De acordo com o depoimento do próprio autor do crime, ele era conhecido de Raphaella há muito tempo e disse que nutria muito ódio dela. A delegada afirma que, segundo os relatos dele, este sentimento de ódio teria surgido em razão de que Olair tentou namorar a vítima, que nunca quis ter nenhum tipo de relacionamento com ele.

Ao que tudo indica, o rapaz planejou o crime por algum tempo, pois comprou uma arma com antecedência. Com ele foi preso um comparsa, Davi José de Souza, de 49 anos, que teria levado Misael até a frente da escola e ficou aguardando no carro enquanto Misael cometia o crime.

A delegada também contou que o autor do crime disse ter atirado contra a vítima 11 vezes e todas no rosto. O assassinato ocorreu logo que iniciou a aula e nenhum dos colegas de Raphaella foi atingido. Misael já havia sido aluno da instituição de ensino e, portanto, conhecia o local, acessando rapidamente a sala onde a jovem estava.

Roberto Pereira da Silva, tio da vítima, foi às pressas até a escola. Segundo ele, ainda chegou a ver a jovem dar os últimos suspiros. Era ele quem criava a menina e que não tinha nenhum conhecimento de qualquer problema que a sobrinha estivesse vivendo e nunca soube de nenhuma ameaça contra Raphaella.

Ele disse que se sente ‘’desesperado’’ com o que ocorreu.

Há 13 dias, outra escola em Goiás já sofreu com uma tragédia. Um aluno do Colégio Goyases, em Goiânia, foi para aula com uma pistola na mochila e quando deu sinal para o recreio, ele tirou a arma e começou a efetuar disparos contra os colegas. Na ocasião, seis crianças foram atingidas e dois meninos vieram a falecer em decorrência dos tiros.

A comunidade escolar, que já estava muito abalada e ainda nem havia se recuperado da tragédia, hoje terá que encontrar forças para lidar com mais esse triste acontecimento.

Segundo a Secretaria de Educação de Alexânia, uma equipe de profissionais formada por psicólogos e assistentes sociais já foi descolada para o local para dar assistência a alunos e professores que estão em choque. Olair e seu comparsa estão presos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo