O airbag, criado justamente para salvar, pode causar lesões e colocar em risco vidas de motoristas e passageiros desavisados no Brasil. O dispositivo é o campeão de problemas na fabricação de veículos automotivos nacionais e tema principal das campanhas de recall no País.

Os dados assustam: 84% dos mais de 2,2 milhões de veículos que andam pelas ruas do Brasil nessa situação têm airbags defeituosos. No entanto, a maioria dos donos sequer faz ideia do perigo que está correndo.

Segundo o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Coelho Vicenzi, 85% dos recalls que são direcionados a veículos automotivos são feitos porque podem causar ferimentos nos condutores e passageiros. O mais surpreendente é que apenas 16% dos recalls de airbags foram atendidos, alertou Vicenzi.

Vídeo, em câmera lenta, mostra a importância do airbag em dia:

Estatística

Os números citados pelo diretor do Denatran, Elmer Coelho Vicenzi, constam no Boletim Recall. O documento mostra que, entre 2013 e junho de 2016, o airbag foi o componente mais afetado pelas campanhas de recall. O dispositivo lidera, com 26%, a lista dos defeitos de fábrica, mais de um quarto de todos os problemas.

No período de três anos foram, ao todo, 60 pedidos de recall em airbags envolvendo mais de 2,2 milhões de veículos. Outro detalhe preocupante são as motos, com 60% dos problemas identificados implicando em risco de queda dos pilotos.

Ranking

Os defeitos no funcionamento dos airbags estão no topo das falhas registradas nos veículos de fabricação nacional (26%). Em segundo lugar na lista de pedidos de recall, aparecem os freios (17%). Em terceiro, o sistema de combustível (16%). Em quarto, motor (11%). Em quinto, problemas na direção (9%). Em na sexta posição, o cinto de segurança (7%).

O Denatran avalia que as campanhas de recall são ineficientes. O consumidor tem dificuldade para saber se o chassi do seu veículo faz parte das chamadas públicas de revisão.

Por isso, o governo planeja fazer uma parceria com a indústria automobilística. A ideia é fornecer o nome e o endereço do comprador que precisa passar pelo recall, mas com fiscalização para que o uso dos dados do proprietário seja restrito a esse serviço, garante o Denatran.

Como evitar riscos

Enquanto o Denatran estuda medidas para aumentar a eficiência das campanhas de recall, os donos de veículos comprados recentemente podem recorrer ao site do Denatran para saber se é preciso trocar algum dispositivo defeituoso.

Basta digitar o número do chassi para ver se existe algum pedido de recall pendente.

O recall é um chamado público obrigatório que as empresas têm de fazer quando um produto ou serviço apresenta um defeito que coloca em risco a saúde e a segurança dos consumidores. O fabricante deve corrigir os problemas e, assim, prevenir acidentes. A questão está prevista no artigo 10º do Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo