Um dos maiores desafios do momento para os pais está sendo ensinar valores e coisas importantes para os filhos. Cada vez mais as mulheres estão sofrendo com a violência doméstica, vítimas de parceiros que simplesmente as tratam como objeto. A sociedade está precisando urgentemente se reeducar para que atos violentos não sejam cometidos contra as mulheres.

Centenas e até mesmo milhares de mulheres morrem todos os dias vítimas de agressões e atitudes impensáveis de seus companheiros. O mais intrigante é que, na maioria dos casos, as pessoas que morreram tinham algum tipo de relacionamento com o assassino.

Seja por causa de ciúmes ou apenas falta de caráter, cada vez mais mulheres estão se tornando vítimas de homens que não têm o menor escrúpulo.

Um crime bárbaro acabou chamando a atenção recentemente. Uma jovem de 16 anos de idade, identificada como Raphaella Novinski, foi brutalmente assassinada dentro de uma sala de aula por um rapaz que tinha a intenção de manter um relacionamento com ela.

Misael Pereira de Olair, de 19 anos, invadiu a sala de aula onde estava a jovem, cobrindo o próprio rosto com uma máscara para não ser identificado.

Nesse momento, o rapaz efetuou 11 disparos contra a cabeça da estudante, que morreu imediatamente. Raphaella tinha marcas de tiros nas mãos, demonstrando que teria tentado se proteger do ataque.

Após ser preso pela polícia, Misael não demonstrou qualquer tipo de arrependimento.

Ele planejou o crime

Misael confessou que teria comprado um presente para a adolescente ainda no ano passado. Quando foi entregá-lo para a jovem, ela avisou que estava auxiliando sua avó, dando banho nela. Para não incomodar, ele então guardou o presente e manteve uma espécie de sentimento de revolta contra a moça. O resultado disso foi a morte da jovem após ele disparar 11 vezes contra a cabeça dela.

Misael deu depoimento à delegada após o crime

O jovem demonstrava frieza ao descrever os detalhes do crime que aconteceu em Alexânia, Goiás. Misael comprou a arma de fogo pelo valor de R$ 2.300,00 e premeditou todo o crime, dizendo até que atirou muitas vezes para a jovem não sentir dor.

Casos como esse estão cada vez mais comuns e mostram uma sociedade carente de valores morais e também de leis que funcionem de verdade. Hoje foi essa garota, mas amanhã pode ser o filho ou a filha de qualquer pessoa que entrará para as estatísticas nacionais de homicídios e violência.

Ações devem ser cobradas a fim de melhorar a Segurança e a educação.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo