Um vídeo tomou conta das redes sociais na noite desta terça (21) e tem causado polêmica em todo país. E não é para menos. Na filmagem, um garoto comemora seu aniversário de 12 anos com a temática da cantora Drag Queen Pablo Vittar. No momento dos "parabéns", é possível ver o menino abraçado com outro garoto que aparenta ser mais velho, e é então que os dois se beijam sob os aplausos do demais presentes na festa. No vídeo ainda é possível escutar uma paródia da música tradicional de aniversário numa versão com muitos palavrões.

Publicidade

O vídeo está chocando algumas pessoas, tanto pela idade do garoto, que acaba de fazer 12 anos, quanto pela naturalidade com que são cantadas as canções com palavras ofensivas.

Ainda há poucas informações confiáveis sobre a gravação, e muitos boatos estão sendo espalhados em torno dela. Até o momento, não se sabe ao certo, por exemplo, em que lugar ocorreu o aniversário, o nome dos garotos que aparecem no centro do vídeo e a data exata em que o mesmo foi filmado. Também não é possível afirmar se os pais dos garotos estavam presentes na comemoração.

Infelizmente, muitos internautas estão se aproveitando da situação para disseminar comentários homofóbicos contra o garoto. Porém, em páginas de defesa das causas LGBT, muitos estão criticando o vídeo por conta da idade do menino, que talvez seja muito novo para estar em um relacionamento, independente de ser hétero ou homossexual: "Esses fatos são realidade nos dois lados. Acho muito errado sim. Tudo tá sendo muito precoce hoje em dia! Com 12 anos não sabia direito nem de onde vinham os bebês, só me preocupava em chegar em casa do colégio em tempo pra assistir meu narutinho no Bom dia e cia (...)", disse um internauta.

Publicidade

Há também quem acredite que os pais é que devem decidir sobre a conduta de seus filhos nessa idade: "Quem tem que se preocupar com isso são os pais do garoto. Se eles aprovam, quem somos nós para falar algo?", disse outra participante da página. As opiniões estão divididas.

Homofobia no Brasil

O Brasil passa por uma "epidemia" de homofobia, segundo informações da ONG Grupo Gay da Bahia, que registrou 277 assassinatos de gays e lésbicas desde o início do ano, o que representa 1,05 vítimas por dia.

Este índice de crimes contra membros da comunidade LGBT é o mais alto desde 1980, quando se realizaram as primeiras estatísticas sobre a violência de gênero no Brasil, segundo explicou a agência de notícias ANSA.

Até o momento, a cantora Pablo Vittar não se pronunciou sobre o vídeo.