A Violência doméstica está crescendo a cada dia. Mesmo com leis específicas, como a Lei Maria da Penha, as mulheres não estão livres do abuso e das agressões. Segundo levantamento feito para o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, a cada duas horas uma mulher é assassinada no Brasil.

A comerciante Viviane Ribeiro escapou dessa estatísticas e acabou cometendo um crime. Nesse domingo (5), a comerciante reagiu às agressões do ex-marido e o matou a facadas.

Antônio agrediu Viviane pela última vez

Viviane trabalha no quiosque em uma praia de Itanhaém, litoral de São Paulo.

Estava trabalhando neste domingo, quando Antônio Bento, seu ex-companheiro, chegou ao local e começou a discutir com ela. A comerciante foi ameaçada e agredida por Antônio.

Segundo relatos de testemunhas, Viviane era constantemente agredida pelo ex. Inclusive, no dia do assassinato, ela chamou a polícia e relatou que estava sendo agredida. A polícia ouviu as testemunhas e a comerciante, que relataram que o homem chegou ao quiosque e começou a quebrar o estabelecimento e agredir a ex-mulher. De acordo com as informações, o motivo pode ser porque ela havia se separado da vítima, mas ele não aceitava a separação.

As agressões eram corriqueiras

Para se defender de novas agressões, Viviane pegou uma faca e começou a atingir o ex-companheiro, acertando-o mortalmente. Antônio Bento morreu a alguns metros do quiosque de Viviane. Depois do crime, a comerciante foi até a Delegacia Sede de Mongaguá, cidade vizinha, relatou todos os acontecimentos e a morte do seu ex-marido. Ela foi liberada e deverá prestar mais esclarecimentos.

Os vizinhos confirmam as agressões sofridas pela autora do crime e relatam que as brigas entre o casal eram corriqueiras. Alguns relatos afirmam que Bento não aceitava a separação. Por este motivo, perseguia a ex-mulher e tentava reatar de qualquer forma.

A comerciante pode ser indiciada por crime doloso

Segundo informações do portal de notícias G1, Viviane foi liberada e deverá responder por homicídio doloso, quando há a intenção de matar, ou a pessoa assume o risco de matar alguém.

Viviane relatou que em várias oportunidades era ameaçada pelo ex e era intimidada por ele, que não aceitava o fim do relacionamento.

O caso foi passado para a Delegacia Seccional de Itanhaém e serão apuradas todas as informações para confirmar os depoimentos da comerciante e de testemunhas.

Não perca a nossa página no Facebook!