A Polícia Civil está procurando um homem identificado por Genivaldo Santos da Rocha, de 39 anos, acusado de ter estuprado a enteada de apenas 10 anos de idade. O fato ocorreu na cidade de Luís Eduardo Magalhães, localizada no oeste baiano. De acordo com relatos da mãe da garota, que não teve a identidade revelada, o homem, além de cometer tal crime, ainda teria oferecido dinheiro para que o crime sexual fosse mantido em segredo.

Ainda segundo relatos da mãe da vítima, o homem teria ameaçado agredir a menina, caso ela falasse algo.

Ele ofereceu a quantia de R$ 10 para que a adolescente permanecesse em silêncio. O acusado ainda teria dito que no dia seguinte daria mais R$ 15 para compensar o ato sexual praticado e como forma de agradecimento pelo silêncio da mesma.

A mulher disse na delegacia que convive com o acusado há pouco mais de dois anos e teve um filho com ele, tendo ainda outros quatro de outros relacionamentos passados. A polícia divulgou a imagem do acusado, que é conhecido na cidade por prestar serviços de pedreiro.

A presidente do Conselho Tutelar do município, Celma Bento, disse em entrevista local que a mãe da adolescente ainda teria dito que, no domingo (3), o acusado chegou a agredir um outro filho de apenas dois anos. Diante das agressões, a conselheira disse que também irá encaminhar o bebê para a delegacia, onde prestará uma outra queixa contra o acusado.

De acordo com informações, o crime sexual teria ocorrido no Conjunto Habitacional Solar dos Buritis. O homem aproveitou o momento em que a mãe saiu para uma consulta médica no centro da cidade e cometeu o crime contra a adolescente.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Política

A informação é que o acusado já havia tentado estuprar a vítima outras vezes. A própria menina confessou que o homem lhe ofereceu dinheiro para poder abusá-la sexualmente.

Ao saber do ocorrido, a mulher decidiu chamar o marido para conversar, porém, o mesmo acabou negando todas as acusações. “Mesmo a menina falando que foi, ele continuava negando, ele retirou toda a roupa da menina, tirou a dele e fez o que fez”, concluiu a mulher.

Diante dos abusos, a garota precisou ser conduzida a uma unidade hospitalar, pois apresentava um forte sangramento nas partes íntimas.

Somente na manhã desta quarta-feira (6), é que ela pôde ser liberada do hospital, onde foi encaminhada para o Instituto Médico Legal da cidade de Barreiras, onde fará exames para comprovar os abusos sofridos pelo padrasto. A polícia divulgou o número: (77) 3628-9541 para que qualquer pessoa que tiver informações que levem ao paradeiro do acusado o denuncie.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo