A professora Maria Célia de Oliveira Schoenherr, de 47 anos, da Escola Estadual Santa Elvira, pertencente ao município de Juscimeira, no Mato Grosso, foi vítima de um terrível acontecimento que por pouco não termina em consequências mais sérias. Ela precisou ser internada em uma casa de saúde após relatar que estava passando mal, depois de ter ingerido uma água com perfume.

De acordo com informações do esposo da professora, Adriano Schoenherr teria deixado sua garrafa de água em cima da mesa, dentro da sala de aula, porém, em um momento de distração, um aluno supostamente do ensino médio teria colocado o perfume dentro da água.

A professora teria chamado a atenção do mesmo, minutos antes do acontecimento, pois o aluno estava borrifando o perfume dentro da sala de aula e incomodando os demais estudantes.

O ocorrido foi registrado no último dia 5 deste mês. Maria Célia foi internada no dia seguinte e teve alta hospitalar 24 horas depois de dar entrada na unidade de saúde. Ela relatou que mesmo recebendo alta hospitalar, não estava se sentindo muito bem, e na madrugada da segunda-feira (11), precisou ser internada novamente.

Na unidade, a professora apresentou vários sintomas, entre náuseas, vômitos e fortes dores de cabeça.

Até o fechamento desta matéria, a informação é que a mesma ainda se encontrava sob acompanhamento no hospital municipal de Juscimeira. Para o quadro não se agravar, ela precisará ser transferida para uma outra casa de saúde na cidade de Rondonópolis, cerca de 218 km de Cuiabá, onde fará um exame de endoscopia.

Segundo informações da Secretaria de Educação do município, a professora atua na rede de ensino há mais de 16 anos e oferece aulas de português e de língua estrangeira.

No dia do ocorrido, a professora teria esquecido sua garrafa de água na sala, quando precisou ir em outra sala para fazer uma entrega do prêmio de melhor redação do ano. O ocorrido abalou a pequena comunidade e ganhou repercussão em todo o estado.

Ao ingerir a água com perfume, a professora se sentiu mal, porém, ainda assim, decidiu continuar dando aula para seus alunos. Somente ao chegar em sua casa o marido indicou que ela fosse ao médico, porém, somente no dia seguinte é que ela aceitou, pois ainda se sentia mal.

O marido da professora a levou para um posto de saúde do bairro, porém, não havia médico disponível, então precisaram se locomover até o hospital de Juscimeira.

Mesmo com as suspeitas de intoxicação confirmadas, os médicos preferem aguardar o resultado dos exames para apontar a verdadeira causa. Diante da situação, a professora ainda registrou uma queixa na delegacia por lesão corporal. Segundo a Polícia Civil, o aluno suspeito de colocar o perfume na água deverá ser ouvido nos próximos dias.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo