O presidente da república, Michel Temer [VIDEO], assinou nesta sexta-feira, dia 29 de dezembro, o decreto estabelecendo o novo Salário mínimo no Brasil. A medida foi publicada no Diário Oficial da União ainda nesta sexta-feira e o reajuste já vale a partir de 1º de janeiro de 2018.

Atualmente, o valor do salário mínimo nacional é de R$ 937, mas o aumento não animou muito os cidadãos que esperavam um aumento razoável. Indo contra as previsões e a ordem orçamentária aprovada pelo Congresso Nacional, o salário mínimo vai subir apenas R$ 17,00, indo para R$ 954,00.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Michel Temer

O valor do salário mínimo teve o menor reajuste em 24 anos. Com o objetivo de conter os gastos, o governo federal pretende economizar um total de R$ 3,3 bilhões de reais no ano de 2018.

Na medida assinada pelo chefe do executivo nacional ficou definido ainda o valor mínimo diário do salário mínimo, bem como o valor mínimo da hora trabalhada, que são respectivamente, R$ 31,80 e R$ 4,34.

Entenda como é o reajuste do salário mínimo realizado anualmente pelo governo federal

O cálculo que o governo usa para chegar a um valor do salário mínimo não é tarefa nada fácil de compreender. A fórmula leva em consideração alguns índices. Os mais importantes e que mais influenciam no cálculo são o valor do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos anteriores e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, valor que é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas - IBGE.

Vale lembrar que essa fórmula atualmente usada está em vigor até o ano de 2019, ou seja, existe apenas mais uma correção com esta regra, que foi elaborada e sancionada pela presidente Dilma Rousseff em 2012.

Certamente o novo cálculo será tema de grandes debates na disputa presidencial de 2018.

Governo foca em reformas e não mostra cansaço

O governo de Michel Temer parece não se cansar na busca de suas reformas. A primeira que o governo teve sucesso, apontando as reformas de maior impacto, foi a reforma trabalhista, que flexibiliza e muito as regras que estavam em vigor até então. Entretanto, a reforma, que é a menina dos olhos de Temer e de seu alto comissariado é a reforma da Previdência Social. O governo diz que não irá desistir de encaminhar para votação ainda neste mandato a reforma. Alega que a mesma é de suma importância para o bom funcionamento do país. Especialistas, entretanto, dizem que em ano de eleições é extremante difícil a aprovação de uma medida impopular como essa.