Francisco Santiago, promotor de Justiça, disse que está intencionando dar de 6 a 20 anos de prisão para o cunhado de Ana Hickmann, Gustavo Correa. Guto, como é popularmente conhecido, estava em Belo Horizonte com a sua mulher, Giovana Oliveira e a apresentadora, em 21 de maio de 2016, quando Rodrigo Augusto de Pádua, que outrora era fá de Hickmann, entrou no apartamento onde ela estava com Oliveira, segurando uma arma e afirmando que queria matar a apresentadora.

Gustavo impediu a ação do criminoso, depois que viu que ele deu um tiro em sua mulher e outro em sua cunhada. Em Ana, passou raspando, mas Giovana acabou sendo atingida.

Ao ver a situação, Guto partiu para cima de Pádua e o segurou. No momento, o marido de Giovana pediu para que ela e Ana Hickmann fugissem, e elas o fizeram. Foi então que o cunhado da apresentadora continuou segurando a mão de Pádua, e como era mais forte do que o criminoso, conseguiu inclinar a mão de Rodrigo, onde a arma estava, até o corpo de Pádua e efetuou dois disparos, matando assim, aquele que tentou tirar a vida de Ana Hickmann e da jornalista Giovana Oliveira.

Guto diz está surpreso com a indicação do promotor

O cunhado de Ana Hickmann disse que acredita na Justiça Brasileira, porém, achou estranho que o promotor tomou uma decisão sem antes pedir uma reconstituição do crime, que, segundo ele, é algo comum em casos como esse. Ele citou o caso de Suzane Von Richthofen, como um exemplo.

“O meu caso era matar ou morrer, eu apenas me defendi para não morrer”, diz Guto.

Ele conta que a intenção do criminoso era clara: matar a sua cunhada, e atirou para isso. No entanto, a bala passou muito perto da cabeça da apresentadora e por sorte não acabou a matando. Mas outro tiro conseguiu atingir a sua esposa, fato que o deixou revoltado. Guto disse que não estava armado, não iniciou nenhuma agressão e, inclusive, a única arma que estava envolvida na situação não pertencia a ele, mas sim, a Pádua, que saiu de Juiz de Fora com um único objetivo.

A promotoria age de forma estranha, diz cunhado de Ana Hickmann

“Estranho a promotoria não ter pedido a reconstituição do crime”, disse o cunhado de Ana Hickmann. Mas ele diz que confia na Justiça e vai esperar a conclusão do caso. Quando perguntado sobre como anda a sua vida, logo depois desse acontecimento, Guto diz que, infelizmente, esse fato não dá para esquecer, e mesmo que o tempo passe, uma situação como essa, jamais será esquecida por quem a viveu.

No entanto, segundo o marido de Giovana, ele tem a consciência limpa de agiu para evitar três mortes de pessoas inocentes: “Minha consciência está tranquila”, afirmou.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo