Uma grávida acabou sendo atraída por uma mulher das proximidades de sua residência. A gestante caiu num golpe, sendo que uma mulher prometeu doar roupinhas para seu bebê.

A mulher acusada de ter cometido o crime foi identificada como Aline Roberta Fagundes, de 37 anos. Ela já tem dois filhos com seu ex-companheiro, mas ainda não tem filho do atual relacionamento amoroso que já dura cerca de dez meses.

Para isso, a mulher inventou que estava grávida. A acusada afirmou que o parto dela estava agendado para quinta-feira (7), às 14h30. Porém, dois dias antes da data, ela tirou a vida de uma gestante, fazendo nela uma “cesárea”, utilizando técnicas ensinadas em vídeos no Youtube.

A Polícia Civil de Uberlândia apresentou a dinâmica desse crime bárbaro na quarta-feira (6). Segundo os policiais, Gabrielle Barcelos Silva, de 18 anos de idade, que estava no oitavo mês de gestação, foi encontrada sem vida na tarde de terça-feira (5), no bairro Residencial Monte Hebron.

Tudo premeditado

A polícia trabalha com a hipótese que já há alguns meses a acusada observava a gravidez de Gabrielle. Então, na manhã de terça-feira, ela convidou a vítima até sua residência com pretexto de doar umas roupas para seu bebê. Em dado momento, Aline deu para vítima tomar um café e suco com um tranquilizante.

De acordo com o delegado Rafael Herrera, assim que Gabrielle tomou a bebida, ela ficou inconsciente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A criança é uma garotinha, que após o parto agressivo teve dificuldades para respirar. Segundo as investigações, Aline telefonou para o namorado e falou que o neném tinha nascido.

No momento que filho de 14 anos de Aline chegou em casa, percebeu que o local estava todo ensanguentado. Ele foi seguindo o rastro de sangue até encontrar o corpo num buraco no quintal. Aline acabou confessando o crime e foi detida pela polícia.

Flagrante

Após Aline Roberta Fagundes ter sido ouvida ela foi autuada pelos crimes de homicídio qualificado, aborto e ainda ocultação de cadáver. A acusada foi conduzida para o Presídio na cidade de Uberlândia.

Ação de namorado é apurada

Aline Roberta Fagundes foi ouvida pela Polícia Civil, e em seu depoimento entrou em contradição, apresentando quatro versões para o crime.

O delegado Rafael Herrera acredita que homem é inocente, baseado em todas as versões apresentadas pela acusada, ela afirmou que o namorado não tinha ciência do roubo do bebê e do homicídio.

Em estado grave na UTI

Enquanto Aline falava por telefone com seu namorado a respeito do ‘nascimento’ da filha, ela via que a criança não conseguia respirar. Então o homem foi para o hospital, e conseguiu colocar a mulher em contato com um enfermeiro, que a orientou por telefone e então a mulher conseguiu reanimar o bebê. Na sequência, o recém-nascido foi encaminhado em estado grave para a UTI.

Relacionamento doentio

Já fazia 10 meses que Aline Roberta Fagundes estava se relacionando com o novo namorado.

E logo no início do relacionamento, ela mentiu para o namorado a respeito de estar com um câncer, apenas para sensibilizá-lo e, assim, o segurar o namoro. Logo depois, ela inventou que tinha engravidado de gêmeos e, no período da suposta ‘gestação’, chegou alegar ter sofrido um aborto de modo espontâneo. Mais tarde, mentiu novamente dizendo que apenas um dos bebês tinha morrido.

Jovem é sepultada

O sepultamento do corpo de Gabrielle Barcelos Silva aconteceu na quarta-feira.

Conforme a polícia, ela tinha engravidado de um adolescente apenas 16 anos e vivia na casa dos pais. Já a acusada Aline Roberta Fagundes vivia com seus dois filhos, sendo que o caçula tem problemas de saúde mental.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo