A polêmica do caso AME Jonatas tem movimentado a cidade de joinville, localizada no estado de Santa Catarina. É que os pais do pequeno Jonatas tem sido alvos de acusações do uso indevido do dinheiro destinado para a o tratamento do filho, portador de uma síndrome rara.

No ano passado a campanha AME Jonatas mobilizou a cidade para arrecadar recursos para custear o tratamento do menino diagnosticado com Atrofia Muscular Espinhal(AME). A família de origem simples e com poucos recursos alegava precisar arrecadar 3 milhões dee reais que seriam necessários para adquirir as primeiras doses de Spiranza, o único medicamento que oferece algum tipo de tratamento para pacientes com AME.

Durante cerca de dois meses de 2017, a campanha mobilizou moradores de Joinville e do Brasil inteiro, com voluntários promovendo ações, bazares e pedágios para ajudar na arrecadação do valor. Uma grife de roupas também foi criada com o nome do menino para reverter as vendas em recursos com o objetivo de comprar novas doses.

Além disso, diversos artistas se mobilizaram e divulgaram em suas redes sociais mensagens de apoio a campanha. Entre eles, Geraldo Magela, André Gonçalves e Danielle Winits - que conheceu pessoalmente o menino e até mesmo chorou no hospital ao visitar o pequeno.

Na época, a atriz compartilhou o caso do menino em suas redes sociais e avisou que a renda de seu espetáculo em Florianópolis seria revertida para ajudar a família.

Justiça bloqueia contas com doações

Uma mudança no padrão de vida dos pais Aline Cunha e Renato Openkoski, além da falta de transparência na prestação de contas teria chamado a atenção de alguns doadores e do Ministério Público que decidiu abrir uma ação civil para acompanhar o caso e investigar as denúncias sobre o uso dos recursos.

Os pais já prestaram depoimento e alegam não terem utilizado o dinheiro em benefício próprio na aquisição de bens. Segundo denúncias e públicações nas redes sociais, os pais adquiriram uma Sportage no valor de 140 mil reais, telefones da marca iphone e viajaram de férias para Fernando de Noronha.

O bloqueio não deve prejudicar o pequeno Jonatas, já que o recurso será liberado conforme apresentação de notas fiscais conforme a necessidade do menino.

O juiz Márcio Renê da Rocha, afirmou que os pais não tem cumprido com o acordo na prestação de contas.

Os pais do menino divulgaram nas redes sociais uma nota:

"O que algumas pessoas falam é da viagem de três dias junto com um casal de amigos nossos. É difícil porque ficamos um ano dentro de um hospítal lutando pela vida do nosso filho e isso não é enaltecido", afirma trecho de uma publicação na página AME Jonatas sobre o bloqueio de bens. "Estamos lutando pelo nosso filho e sempre lutaremos, pedimos a gentileza de quem não quer ajudar não atrapalhe com seus comentários maldosos", acrescentou a família da criança."

Porém, os internautas tem reagido de forma agressiva, mostrando bastante indignação com as postagens dos pais.

E vai além, páginas de repúdio tem sido criadas nas redes sociais, como é o caso da página "fraude Renato e Aline", que posta diariamente fotos e prints de conversas relacionadas a ações do casal.

''Quando criei a página no Instagram uma pessoa me mandou um print de uma publicação de um rapaz, tentei contato com ele para saber já que nessa página, esse rapaz dizia que tocou no natal um violão doado por um famoso cantor sertanejo para o Jonatas, ai você vai me perguntar: qual o problema?? Com certeza quem doou esperava que esse violão fosse leiloado, ainda mais que o cantor ja ganhou inúmeros prêmios, imagina o valor desse leilão, o cantor em pauta já ganhou tantas vezes o "melhores do ano" no Faustão, que quando o apresentador anuncia todo mundo já sabe que é dele o prêmio ( fique tranquilo meteoro da paixão, não vou expor teu nome).

Mandei mensagem para o rapaz ele jamais me respondeu no direct, hoje eu tive a confirmação. Estamos pesquisando os outros itens. Parabéns Renateeenho e Ledoca, o povo tem que doar, mas vocês não abrem mão de nada.'', disse o administrador da página.

AME - Entenda a doença

A Atrofia Muscular Espinhal é uma doença caracterizada pela degeneração de neurônios motores da coluna vertebral. Ela atinge o sistema nervoso até o ponto de o paciente não conseguir se mover ou até mesmo respirar sem ajuda de aparelhos.

A Spiranza leva o gene SMN-2 a produzir uma proteína que normalmente é produzida pelo gene SMN-1, substituindo-o.

Isso porque a doença ocorre devido à falta ou defeito do gene SMN-1 no organismo.

Não perca a nossa página no Facebook!