Um assaltante acabou morrendo ao trocar tiros com a Polícia militar em Marabá, localizado no sudeste do Pará.

Em novembro do ano passado, alguns elementos explodiram um carro forte na rodovia BR-155. Durante a tentativa de assalto, houve uma intensa troca de tiros entre os assaltantes e os agentes que estavam fazendo a escolta do dinheiro. Dois envolvidos no assalto conseguiram fugir.

O grupo tático estava monitorando os passos dos elementos, até descobrirem a residência onde a dupla de assaltantes estavam se escondendo. Em seguida, houve um mega planejamento para capturar os elementos. Quando os policiais [VIDEO] chegaram na casa perceberam a presença de diversos elementos no interior da casa.

Um dos suspeitos notou a presença dos agentes e começou a atirar junto com um comparsa. Durante a troca de tiros, um dos elementos tentou escapar pelos fundos da residência, mas percebeu que a casa estava cercada. Então, ele teve a ideia de fugir pelo telhado.

Um dos policiais [VIDEO]percebeu o elemento e pediu para o mesmo largar a arma e se entregar, mas o pedido foi negado. Ele acabou sendo baleado e morreu na hora. O outro comparsa percebeu que também iria morrer, e resolveu tentar escapar. Ele chegou a pular em outra residência, mas acabou sendo capturado pela polícia e o mesmo não apresentou resistência.

Haviam outros dois elementos que estavam no interior da casa que era usada como esconderijo, que também conseguiram fugir. A polícia [VIDEO] não conseguiu fornecer o número exato de indivíduos que conseguiram fugir.

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves foi acionado para a remoção do corpo do assaltante que estava morto no telhado da residência.

Os peritos tiveram muita dificuldade na hora de tirar o corpo do acusado. Uma corda teve que ser usava para descer com o corpo do indivíduo. Alguns moradores que moram próximo, ficaram assustados com os barulhos de tiros. ''Eu estava colocando a minha filha para dormir quando presenciei uma cena de guerra. Tiros eram disparados para todos os lados'', relatou uma moradora.

Um outro morador ficou surpreso com o caso, pois não sabia quem haviam diversos elementos de alta periculosidade na residência. Até o fechamento dessa matéria, nenhum dos outros envolvidos foram localizados.

A Polícia Civil está dando suporte para essa investigação, onde pede a colaboração dos moradores para denunciar o paradeiro dos outros envolvidos.