Um casal foi encontrado enterrado no quintal da sua própria casa no município de Camaçari, em Salvador. Segundo o inquérito do crime, que foi considerado pela polícia como ‘uma barbárie’, Juvenal Amaral Neto e Cristina Amaral, além de terem sido torturados, podem também terem sido vítimas de canibalismo.

A conclusão informada pela delegada Maria Tereza Santos da 4ª Delegacia de Homicídios foi dada nesta sexta(19). Entre os suspeitos havia dois adultos, Daniel Neves Santos Filhos de 29 anos, Carlos Alberto Neves Júnior e mais três adolescentes, com idades de 13, 14 e 16 anos.

O duplo homicídio foi denunciado através de uma ligação anônima. Depois de terem sido detidos, os suspeitos foram obrigados a praticarem sexo entre si pelos acompanhantes de cela. O vídeo da possível agressão que foi gravado dentro da delegacia, está sendo investigado pela polícia.

O crime

Além de outros diversos tipos de Crimes violentos, a delegada responsável pelo caso ainda afirmou que o casal pode sim, terem sido vítima de canibalismo. Segundo ela, nos corpos dos mortos, partes das vísceras e órgãos não foram encontradas e também, não há vestígios que indicam aonde possam estar.

Segundo o resultado das investigações, os criminosos chegaram a separar tecidos moles dos ossos das vítimas. De acordo com a delegada, mesmo que os peritos não confirmem no inquérito que houve mesmo a prática de canibalismo, essa é uma importante e grande hipótese que será levantada de acordo com as provas.

Os peritos determinaram que Cristina Amaral, a vítima de 43 anos, foi a que mais sofreu. Ela foi dilacerada e queimada pelos assassinos. Além disso, ela foi abusada sexualmente, teve seu braço amputado quando ainda estava viva e seus ovários e trompas sumiram.

Já Juvenal, de 57 anos, teve suas costas cortadas com faca de ferro, tudo enquanto ainda estava vivo, além de ter sido torturado de outras formas.

Uma informação divulgada pela Secretaria de Segurança da Bahia, confirmou que os criminosos mataram o casal por causa de R$70 mil, dinheiro este que teria sido proveniente de uma indenização recebida por eles.

O dinheiro não foi encontrado pelos criminosos, ocasionando assim, a morte do casal. As vítimas estavam sumidas desde o dia 7 de janeiro e só foram encontradas dois dias depois de terem sido assassinadas.

A avó de um dos adolescentes trabalhava como caseira do casal morto. Todos os suspeitos acabaram confessando a participação no homicídio.

Vídeo feito na cadeia comprova abuso sexual entre presos

A apuração do vídeo que comprova que os suspeitos foram abusados sexualmente, ainda está sendo feita pela Polícia Civil da Bahia. Nas imagens, dois adultos presos são obrigados por outros a praticarem sexo oral um no outro. A filmagem foi feita por um aparelho de celular de um dos detentos e o vídeo acabou sendo publicado na internet.

Ao que tudo indica, o abuso teria sido um tipo de retaliação dos detentos aos criminosos por conta do crime que cometeram.

Nas imagens, os suspeitos também são obrigados a baterem um no rosto do outro, isso, além de sofrerem agressões dos outros.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo