A CGU (Controladoria-geral da União) realizou uma auditoria no programa do governo Bolsa Família e identificou em 350 mil cadastros fraudes e ilegalidades. Segundo o relatório apresentado pelo órgão, foi pago pelo governo irregularmente mais de R$1 bilhão para pessoas que não deveriam receber o benefício do programa. Segundo a CGU, já estão sendo identificadas as pessoas que receberam o Bolsa Família indevidamente.

Antônio Carlos Leonel, secretário federal de Controle Interno da Controladora, o mais preocupante não são os casos de pessoas que antes recebiam o benefício e agora conseguiram emprego e melhoraram de vida, mas aqueles que entraram já fraudando, já possuíam um padrão de vida que não era necessário receber o benefício.

Ele afirmou que é atrás desses que a CGU irá.

Pelo que foi identificado na auditoria, até funcionário público estava recebendo o dinheiro do Programa Social. Famílias estruturadas com casas e carros de luxo também foram identificadas recebendo o benefício.

O programa social Bolsa Família entrou em vigor no ano de 2003 para poder ajudar as famílias que viviam em situações extremas de pobreza. Os que têm direito a receber o auxílio do Bolsa Família são as famílias que possuem uma renda inferior a R$ 200 por pessoa.

Foi identificada na fiscalização da CGU famílias com renda superior a R$ 1.900 por pessoa.

Só na cidade de Piancó, na Paraíba, mais da metade da população recebe auxílio do programa Bolsa Família. Depois de uma intensa fiscalização, esse número reduziu ao 50%. Na cidade até os servidores da Prefeitura e Câmara de Vereadores eram beneficiados e recebiam pelo Bolsa Família.

Cancelamento de benefícios

Com as informações da CGU, o Ministério do Desenvolvimento Social divulgou que vai fazer um paralelo com os trabalhos de checagens que estavam realizando.

Segundo a pasta, estão sendo revistas as falhas e todos os cadastros são revisados todos os meses.

Foi informado pelo governo que cerca de 4,7 milhões de pagamentos foram cancelados desde outubro de 2016. O Ministério do Desenvolvimento Social divulgou ainda que está sendo cobrado a devolução dos valores pagos nos casos que são considerados mais absurdos que foram fiscalizados - cerca de quatro mil famílias.

O secretário-executivo do MDS, Alberto Beltrame, disse que foram enviadas cartas para as famílias solicitando a devolução do dinheiro do benefício, mas apenas 23 fizeram o pagamento.

O secretário acredita que ainda receberão cerca de 12 milhões de reais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo