Mais um crime bárbaro chocou a população de uma pequena cidade do interior do Mato Grosso, nesta quarta-feira, dia 17. Uma mulher acabou sendo assassinada brutalmente pelo seu esposo, a facadas, em sua residência em Guarantã do Norte, cidade localizada à aproximadamente 721 quilômetros, da capital Cuiabá.

Segundo informações da Polícia Civil, que abriu inquérito para investigar o caso, Edilene Coelho dos Santos, de 30 anos, foi morta, em sua residência, localizada na Rua Boa vista, no Bairro Jardim Vitória, na cidade de Guarantã do Norte.

O crime foi cometido na frente de seus filhos, duas crianças, uma com apenas 9 anos de idade e um recém-nascido de apenas 22 dias de vida. Ainda segundo informou a polícia, a vítima foi encontrada já sem vida no chão, ferida por um golpe nas costas. A arma do crime foi encontrada no local, ao lado do corpo.

Ademilson Nunes, também de 30 anos, que é o marido da vítima, é o principal suspeito do crime.

Isso porque conforme relatado no boletim de ocorrência pela Família da vítima, o suspeito encontrava-se cumprindo pena em liberdade condicional, por cometer Violência doméstica. Ademilson já teria agredido Edilene, bem como o seu filho de 9 anos, que é fruto de um outro Relacionamento.

A mãe de Edilene, que não quis ser identificada, informou em entrevista ao site 'G1', que Ademilson cumpria pena por violência doméstica, que antes do nascimento da criança, o casal brigava frequentemente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Relacionamento

Ela revelou ainda que anteriormente o casal residiu em um sítio e no local seu genro praticava agressões contra Edilene constantemente. Ademilson seria ciumento e que quebrava os celulares de Edilene quando eles brigavam.

Segundo informações colhidas pelo site 'G1', existe um processo no (TJMT) Tribunal de Justiça do Mato Grosso, no qual consta que Ademilson cumpria pena em liberdade condicional e por isso estava sendo monitorado através de uma tornozeleira eletrônica.

O suspeito teve a sua prisão decretada, entre os meses de janeiro e maio de 2017, por ter descumprido as regras do equipamento, mas atualmente cumpria apenas as medidas previstas na Lei Maria da Penha. A defesa de Ademilson não foi encontrada pelo site 'G1'.

O Conselho Tutelar da cidade de Guarantã do Norte também foi acionado e prestou assistência para as crianças.

A polícia já deu início nas diligências, no intuito de encontrar o suspeito do crime, entretanto até esta quinta-feira, dia 18, ainda não teria obtido êxito.

O corpo de Edilene foi velado na Capela Mortuária da cidade de Guarantã do Norte e sepultamento ocorreu nesta quinta-feira.

Leia também:

Caso de mãe em desespero que tentou doar filhas no Facebook tem fim emocionante

Marido mata mulher grávida antes do parto, após ler mensagens no WhatsApp

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo