Determinado a conseguir o apoio dos parlamentares e convencer a população, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), tem frequentado programas de televisão onde tenta transmitir uma imagem mais aberta e menos política sobre aqueles que são, em sua opinião, os motivos pelos quais a reforma da Previdência [VIDEO] é necessária.

No último domingo, dia 28, #Temer esteve no programa do apresentador Silvio Santos, do SBT, onde voltou a usar os argumentos de que o Brasil poderá enfrentar uma crise como a que recentemente foi vivida por Portugal e Grécia caso não realize a #Reforma da Previdência Social, alterando as regras para a aposentaria dos trabalhadores brasileiros.

“Lá [em Portugal e na Grécia] foi preciso cortar 30, 40% dos vencimentos dos funcionários públicos”, disse Temer a Silvio Santos. Ainda no mesmo programa, Temer afirmou que a reforma “não prejudica os pobres”, dizendo ainda que os trabalhadores rurais e os deficientes físicos estarão excluídos das novas regras.

Também na conversa com o “homem do baú”, Temer voltou a afirmar que não pretende concorrer à reeleição, declarando que deseja deixar um “legado histórico” e que sua gestão seja lembrada como um #Governo “reformista”.

Ainda no programa de Silvio Santos, Temer tentou fazer uma piada que pegou mal com boa parte dos telespectadores. Já no fim do encontro, Temer disse que iria “passar um dinheiro para você”, e entregou uma nota de 50 reais a Silvio, famoso por jogar aviõezinhos com notas de dinheiro para o público.

A tentativa humorística de Temer gerou revolta nas redes sociais, com internautas afirmando que o presidente fez piada dos escândalos de corrupção que atingem grande parte da classe política do país, incluindo seu governo.

Antes do programa de Silvio Santos, Temer foi ao ar pela TV Bandeirantes, que no sábado, dia 27, transmitiu uma entrevista dada pelo presidente ao apresentador Amaury Jr. Já nesta segunda-feira, dia 29, Temer participou de um programa da rádio Bandeirantes pela manhã, e à noite foi ao ar no programa do Ratinho, também do SBT, em programa que havia sido gravado em 18 de janeiro.

Durante o encontro com Ratinho, Temer voltou a comparar a situação do Brasil aos cenários enfrentados por Grécia e Portugal antes de passarem por uma crise fiscal. Respondendo a uma pergunta do apresentador, Temer afirmou que Advocacia-Geral da União (AGU) já está adicionando judicialmente todas as empresas que possuem dívidas com a Previdência Social. Novamente defendendo sua reforma, Temer disse que a ação é necessária para “sairmos desse buraco”, em referência à dívida de R$ 189 bilhões da Previdência.

Falando diretamente aos telespectadores, Temer tentou pedir o apoio ao povo para a reforma, solicitando que os eleitores “mandem carta para deputado, senador” a favor da reforma que alterará as regras de aposentadoria nacional. Encerrando o recado, Temer disse que o Congresso irá ecoar “a voz do povo”, e que, “se o povo estiver de acordo, ele [deputado] se sente confortável para votar a favor” da reforma da Previdência.

A estratégia de tentar dialogar diretamente com a população pelos mais diversos canais é uma das últimas cartadas de Temer para tentar conseguir os votos necessários para a aprovação da reforma da Previdência. Até o momento, o governo contabiliza 275 votos de 308 necessários para passar o projeto.

A votação está marcada para o dia 19 de fevereiro, e Temer deve continuar trabalhando nos bastidores e fora deles para tentar garantir a aprovação daquela que é uma das principais bandeiras de seu governo. Para a base governista, uma derrota no próximo mês praticamente enterraria a reforma para 2018, deixando a discussão para o próximo governo, que será escolhido após a eleição presidencial de outubro.