Um ato racista, durante a passagem de um bloco de rua, parece ter acabado com o Carnaval de muita gente em Vitória, Espírito Santo. O caso teve grande repercussão nas redes sociais e resultou em uma demissão para o jovem Lucas Almeida, estudante de Educação Física e estagiário na academia Studio Vitória.

Tudo começou após Lucas publicar uma postagem de extremo mau gosto em seus Stories no Instagram.

Na imagem, o estudante aparecia ao lado de três rapazes negros. A legenda da imagem dizia: ''Vou roubei seu celular''.

Iarley Duarte, um dos rapazes que aparece na foto, desabafou a respeito da atitude racista de Lucas em seu Facebook nesta quarta-feira (14), dizendo que sequer conhecia o estudante, que teria pedido para tirar uma foto com ele e seus amigos, sem que nenhum deles tivesse se visto antes.

Para Iarley, o preconceito está em todo lugar e ninguém está livre dele. ''Somos pretos, favelados e temos muito orgulho'', escreveu o rapaz, cujo desabafo já chega aos 10 mil compartilhamentos.

Não demorou muito para que os internautas descobrissem o local onde Lucas Almeida estagiava. Após a repercussão de seu ato gerar polêmica nas redes sociais, a página do Facebook da academia Studio Vitória, que tem duas filiais no Jardim Penha, começou a receber um grande número de avaliações negativas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Carnaval

Após tomarem conhecimento da atitude de seu funcionário, a empresa optou pelo desligamento de Lucas, e publicou, na quarta-feira (14) mesmo, uma nota na qual criticava o comportamento de seu estagiário, que segundo a postagem, trabalhava lá já há dois anos.

Um dos proprietários da academia, Fabrício Affonso, negro e nascido na periferia de Porto Alegre, disse que a conduta do estagiário foi ''inadmissível''; ele diz conhecer bem seus funcionários e considera que a postagem do jovem foi extremamente infeliz, quase ingênua e que, mesmo assim, a empresa não poderia omitir-se e compactuar com este tipo de ato preconceituoso.

''Nem a imaturidade, nem o Carnaval, nem a bebida são desculpas para o racismo'', concluiu Fabrício.

Até o início de quinta-feira, o estudante ainda não havia sofrido desligamento, mas já estava afastado do trabalho na Studio Vitória, pois não apareceu para trabalhar devido ao medo de represálias. Em seu Facebook, o rapaz escreveu uma espécie de nota de retratação, na qual pediu desculpas aos rapazes que apareceram em sua postagem e a todos que se sentiram ofendidos pela mesma, dizendo que jamais foi essa a sua intenção.

O estudante escreveu ainda que se opõe a toda forma de preconceito e que quem o conhece bem sabe disso. Para ele, sua postagem seria, na verdade, uma crítica social, baseada em ironia e em um meme da internet.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo