Aconteceu nesta quinta-feira, dia 22 de fevereiro, na pacata cidade de Taubaté, interior de São Paulo, mais um caso de estupro contra uma garota adolescente de apenas quinze anos de idade. Segundo relato da vítima, o responsável pelo ato repugnante seria ninguém menos que o próprio tio da adolescente, um homem de 25 anos.

Houve tempo ainda da jovem pedir socorro ao pai, tal ato foi feito via áudio pelo celular da vítima.

“Socorro, o tio está tentando me estuprar”, disse a garota ao pedir socorro ao pai. Segundo o relato, o homem arrastou a menina para a sua cama e tentou abusar dela, mas o socorro chegou antes do ato ser consumado. Entretanto, segundo a lei, o crime foi caracterizado com estupro.

Pouco tempo após ter cometido o crime, o indivíduo foi encontrado pela força de polícia militar na Vila São José. O estuprador foi imediatamente encaminhado para a delegacia de defesa da mulher, e pode ser condenado a até doze anos de prisão. O homem ainda disse aos policiais estar arrependido do ato e confessou ser usuário de drogas e bebidas alcoólicas.

Médico acusado de estuprar duas pacientes na UPA

O departamento de polícia de Imbiribeira, na zona sul do estado do Recife, começou a investigar o caso de um traumatologista que teria abusado sexualmente de duas pacientes dentro de seu consultório na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O nome bem como a idade do Médico foram mantidas em sigilo pelo departamento de polícia. O profissional foi afastado do cargo pela Secretaria Estadual de Saúde.

A primeira vítima que denunciou o homem era uma jovem de dezoito anos que procurou atendimento na UPA após sofrer um acidente, e conta que quando o médico foi examiná-la, ele pediu para que ela abaixasse o short e então cometeu o estupro. A menina deixou o consultório assustada e só foi prestar queixa na noite após o acontecimento, que ocorrera pela parte da manhã.

Após a repercussão do caso, uma segunda vítima prestou queixa contra o traumatologista, trata-se de uma mulher de trinta e três anos de idade, que diz ter sido abusada uma semana antes da outra garota.

A Unidade de Pronto Atendimento se comprometeu a tomar as medidas cabíveis com o profissional e se colocou a disposição do departamento de polícia para ajudar na investigação do ocorrido. Imagens das câmeras de segurança da UPA foram solicitadas parra fins de investigação e estão sendo analisadas pela polícia, que também investiga se houve outros casos não informados com o mesmo profissional.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo