Depois de faturar o título do ano passado, a Acadêmicos do Tatuapé voltou a soltar o grito de campeã, conquistando o bicampeonato do carnaval de São Paulo [VIDEO] em 2018. A escola da zona leste da capital paulista levou o título com um enredo onde celebrou o estado do Maranhão, misturando toques de reggae ao samba. A apuração das notas foi realizada nesta terça-feira, dia 13, no Sambódromo do Anhembi. As informações foram veiculadas pela Agência Brasil.

Mas se engana quem pensa que a celebração do bicampeonato veio de forma tranquila para a escola do Tatuapé. A escola terminou empatada com outras três escolas: Mocidade Alegre, Mancha Verde e Tom Maior, todas com 270 pontos.

O título da Acadêmicos do Tatuapé veio na última nota 10, no quesito mestre-sala e porta-bandeira, que funcionou como critério de desempate com as outras escolas.

Agora, as escolas se preparam para voltar ao Sambódromo do Anhembi na sexta-feira, dia 16, quando será realizado o desfile das campeãs, que contará ainda com a presença das escolas Dragões da Real e Império da Casa Verde, quinta e sexta colocadas no Carnaval de São Paulo de 2018. Gaviões da Fiel ficou na sétima posição, seguida pelo Rosas de Ouro, em 8º, e pela Vira Maria, em 9º. A Vai-Vai ficou em 10º e a X-9 Paulistana em 11º. Em 12º do lugar veio a Unidos do Peruche, que foi rebaixada ao lado da Independente, em 13º.

Fundada em 1952 com o nome de Unidos da Vila Izabel, a atual Acadêmicos do Tatuapé chegou a encerrar suas atividades em 1986, retornando em 1991.

A escola sofreu com sucessivos altos e baixos, se restabelecendo na elite em 2013. O primeiro título da escola no Grupo Especial veio justamente no ano passado, com o enredo “Mãe África Conta a Sua História: do Berço Sagrado da Humanidade à Abençoada Terra do Ouro”.

Neste ano, a escola usou o enredo “Maranhão: Os tambores vão tocar na terra de encantaria”, que conta a história do estado do Nordeste brasileiro desde sua colonização até os dias atuais, incluindo aspectos como história, religião, folclore e festividades. Capital do estado, São Luís também foi homenageada no desfile, com referências à sua arquitetura colonial e moradias populares.

Vice-campeã do carnaval de São Paulo de 2018, a Mocidade Alegre fez um enredo em homenagem à cantora Alcione, a “Marrom”, coincidentemente uma das principais estrelas culturais do Maranhão. A sambista chegou a ser convidada a desfilar pela Acadêmicos do Tatuapé, mas acabou marcando presença no desfilo cujo enredo foi criado em sua homenagem. O convite foi confirmado pelo presidente da Acadêmicos do Tatuapé, Eduardo dos Santos, que afirmou ao portal UOL que Alcione é “um ícone do Maranhão”.

O presidente da escola bicampeã também elogiou a Mocidade, afirmando que é uma “escola exemplar” e um “modelo de agremiação”. Em vídeo divulgado em suas redes sociais, Alcione parabenizou a Acadêmicos do Tatuapé pelo título.

Campeão do Carnaval do Rio de Janeiro será conhecida nesta quarta-feira

Depois do título da Acadêmicos do Tatuapé em São Paulo, a escola vencedora do carnaval [VIDEO] de 2018 do Rio de Janeiro será conhecida nesta quarta-feira, dia 14. A apuração será realizada na Marquês de Sapucaí a partir das 15h. No total, 13 escolas disputam o título do Grupo Especial carioca.

Para comentaristas, Salgueiro, Portela, Mocidade, Mangueira e Beija-Flor disputam o título. Com um enredo repleto de críticas sociais, a Paraíso do Tuiuti ganhou as redes sociais e também tem chances no páreo.

As atuais campeãs do carnaval do Rio de Janeiro são a Portela e a Mocidade, que terminaram empatadas e dividiram o título em 2017. A Portela é a maior campeã da história do carnaval, com 22 títulos. A Mangueira é a segunda maior vencedora da história, com 19 títulos, seguida pela Beija-Flor, com 13.