Dizem que o Brasil tem sido o país das piadas prontas, infelizmente quase todas envolvendo o Poder Judiciário. Desta vez, o bafafá foi por causa do transporte de 25 mil bois vivos para a Turquia.

Primeiro, o transporte em caminhões até o Porto de Santos, no litoral de São Paulo, que gerou duas enormes multas a empresa Minerva Foods (R$ 1,7 milhão e R$ 2 milhões) por causa do rastro de fezes dos animais e mau cheiro que impregnou as cidades por onde passaram.

Finalmente, depois de colocarem a boiada em um navio sem condições para transporte de animais vivos, ONGs de proteção dos animais conseguiram liminar na justiça para impedir que o navio de bandeira panamenha MV Nada zarpasse do Porto de Santos.

Mau cheiro em Santos

O navio atracado gerou mais mau cheiro e a Capitania dos Portos foi intimada a tomar uma solução, pois a situação do porto poderia ocasionar o fechamento para desembarque de alimentos que poderiam ser contaminados.

Técnicos de Inspeção Sanitária sugeriram que o navio fosse lavado, mas alguém lembrou que a água da limpeza teria que ser jogada no mar.

Com os animais trancados no navio, que não podia ser lavado desde sexta-feira, o porto entrou nesse domingo (4) com um problema de saúde pública. Por fim, um desembargador do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, em São Paulo, cassou a liminar da Justiça que impedia o navio de partir, resolvendo o problema do Porto de Santos.

Em sua decisão, o desembargador Fábio Prieto observou que estando os bois completamente embarcados e que a limpeza do navio era considerada impossível por questões ambientais, a permanência do navio no porto seria ainda pior, pois o desembarque dos animais demandaria um mínimo de um mês, gerando ainda mais sofrimento aos animais e à população da cidade.

Em entrevista depois de reunir-se com o presidente Michel Temer, no Palácio do Jaburu, em Brasília, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, também comentou o caso.

Segundo o ministro, o ocorrido é um “problema sério” para o país, lembrando que há um mercado livre bem competitivo no mundo, do qual o Brasil participa.

Segundo ele, nesse embarque por Santos, a Justiça acabou por interferir de modo negativo, por ação de organizações não governamentais, que afirmam que os animais estão sofrendo maus tratos. A situação tragicômica reflete bem o momento pelo qual o Brasil vem passando desde que o presidente Michel Temer assumiu o poder através do impeachment de Dilma Rousseff: ações de organismos civis contra fezes e mau cheiro geram mais problema e quem paga o pato é o cidadão comum.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo