A história desta brasileira de 52 anos anos é de encher os olhos de lágrimas. Desde a semana passada, quinta-feira (1o.) Maria Raquel Bonito, a "miss Bonito" como é carinhosamente chamada pelas crianças inglesas da escola onde atual como voluntária, está numa luta ferrenha contra o tempo em Londres.

Vítima de uma doença congênita no coração - Estenose Subática Hipertrófica Idiopática - ela entrou no hospital no dia 14 de novembro do ano passado e, automaticamente, fez parte do grupo de pessoas a espera por um Transplante do órgão no Reino Unido.

Totalmente elegível para isto, pois como cidadã italiana, vivendo há 12 anos na Inglaterra, Raquel é atendida integramente pelo NHS ( sistema público de saúde britânico). Porém, a história não teve um desfecho feliz. O coração até apareceu no dia 19 de dezembro, mas não era compatível, e com o passar dos tempos, internada no Hospital Haefield, ela se sentiu cada vez mais fraca e precisava de uma dieta especial, o que não foi exatamente o que recebeu.

Seu corpo foi retendo água, e vieram outros sintomas típicos das dificuldades com os rins.

O marido Wagnelucio Tonon conta que chegou a cozinhar por conta em casa para proteger a mulher e lhe dar uma alimentação mais condizente. Mas infelizmente, os médicos detectaram a fragilidade dos rins, e além do coração, agora Raquel também precisa de outro órgão para sobreviver, um rim saudável.

Diante deste novo cenário, os médicos britânicos desengaran a família, e na própria quinta-feira (1o.) lhes pertaram friamente onde a Raquel preferiria morrer, em casa ou no hospital, pois ela já não estaria mais em condições, segundo eles de esperar por um coração.

Sua situação seria algo fora dos padrões deles para ser elegível para um transplante.

Informando com a situação, o marido se pôs a buscar alternativas e encontrou no Brasil o dr. Fernando Bacal, do Hospital Albert Eisntein, quem afirmou que faria o duplo transplante na brasileira, porém que ela deveria embarcar para o Brasil o mais cedo possível.

Foi então que a família começou a vender as coisas que tinha para juntar dinheiro para uma ambulância aérea, que custa entre 88 em 100 mil libras ( cerca de R$ 400 mil ), conseguiram também algumas doações, e até a noite de domingo (4), já tinham alcançado a marca de 30 mil libras, ainda falta bastante para quem está lutando contra o tempo para chegar no Brasil e logo entrar na fila para um transplante.

De acordo com a família, primeiro seria substituído o coração, e depois um dos rins.

Veja a entrevista que o casal concedeu ao canal Direto de londres para entender o drama.

serviço

É possível ajudar a família com contribuições pelo HSBC na Inglaterra SC 40-01-29/ 20070718 ou no Brasil pelo City Bank – Ag 001/ conta 4888413 – CPF 126.116.368-4 - Wagnelucio Tonon

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo