Em mensagem enviada ao Congresso Nacional, Temer afirma que se faz necessário e urgente reformar a previdência no momento.

A mensagem enviada ao Congresso anual, é o ritual para iniciar o ano legislativo, a mesma foi entregue pelo ministro da casa civil, Eliseu Padilha e lida pelo deputado Giacobo (PR-PR), primeiro secretário da Câmara.

A votação da reforma está marcada para o próximo dia 19, de acordo como calendário anunciado ainda ano passado, pelo presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Para ser aprovada a reforma deverá ter no mínimo o voto de 308 dos 513 deputados, em duas votações – segundo os líderes da base o governo conta atualmente com 270 votos.

“Nossas atenções estão voltadas para a tarefa urgente de consertar a Previdência”. O atual sistema é socialmente injusto e financeiramente insustentável.

É socialmente injusto porque transfere recursos de quem menos tem para quem menos precisa, concentrando renda.

“É financeiramente insustentável porque as contas simplesmente não fecham, pondo em risco as aposentadorias de hoje e de amanhã”, afirmou o presidente.

Temer defende que a reforma deve ser aprovada afirmando que o sistema vigente é injusto e financeiramente insustentável, se referindo aos benefícios de funcionários públicos, e afirma que a intenção da aprovação é para equipara as desigualdades sociais.

Já Rodrigo Maia afirmou que o único caminho para o Brasil garantir equiparação social é a reforma ser aprovada, e que na previdência social vigente quem paga as contas é o cidadão comum, Maia diz ainda que o prazo final para a votação da reforma é fevereiro apenas, a reforma atinge apenas 20% dos brasileiros, segundo ainda o presidente da Câmara dos deputados, o brasileiro ainda não entendeu a reforma.

Para o brasileiro comum o ponto negativo para a Reforma da Previdência é o aumento de 65 para 68 anos a idade mínima para o acesso ao beneficio, e acham que existem alternativas para suprir o déficit da previdência privada e do INSS.

Os parlamentares do PSOL realizaram um ato contra a reforma da previdência durante a cerimonia de abertura do ano legislativo do plenário da câmara.

É importante se atentar quais são as propostas dessa reforma a quem ela realmente beneficia, quais são os prejuízos, e deve ser observada a relação da burguesia e da situação da maioria dos brasileiros.

A Cerimônia

A sessão solene foi iniciada com 21 tiros de canhão, na abertura dos trabalhos legislativos de 2018, tradição mantida desde o império, quando eram feitos com balas de verdade os disparos. Atualmente, a atividade é conduzida pelo 32º Grupo de Artilharia de Campanha (Bateria Caiena) e são disparados tiros de festim.

Iniciada pelo presidente do congresso nacional, senador Eunício oliveira (PMDB-CE), a solenidade tem a leitura da mensagem do presidente da republica ao congresso, logo após a mensagem do judiciário, o discurso do presidente da câmara finalizado com o discurso do congresso nacional

Não perca a nossa página no Facebook!