O governo federal e os governos estaduais e municipais estão com problemas para manter as instituições de saúde em pleno funcionamento. O caos na saúde pública é algo que perdura por décadas. Entretanto, a falta de investimento tem limites, pois para que instituições do setor de saúde existam, é necessário ter o mínimo de infraestrutura. A sociedade entende que, por diversas razões, alguns equipamentos médicos não funcionem e que o atendimento dos profissionais de saúde possam demorar um pouco. Entretanto, o que está acontecendo na UPA de Florianópolis é inadmissível.

Nessa unidade de pronto-atendimento está faltando papel toalha e detergente.

Falta produtos de higiene em UPA

Em locais onde há grande movimentação de pessoas e a permanência por longas horas, é necessário ter banheiros munidos de muito detergente e papel toalha. Faltar produtos de higiene é um absurdo e um grave risco à saúde. De acordo com informações do site G1, do Jornal do Almoço e dos profissionais que trabalham na UPA, a falta de produtos básicos de higiene já dura 15 dias.

Segundo a Secretaria da Saúde, papéis higiênicos estão sendo fornecidos.

Caso o problema continue, na quinta-feira os papéis toalha serão entregues por meio da Secretaria da Educação. Sim, exatamente isso, um órgão ligado à educação precisará ajudar a manter o mínimo de higiene na UPA.

A Secretaria de Saúde de Florianópolis comentou que a licitação para efetuar a compra dos materiais foi suspensa pela necessidade de esclarecimentos. Entretanto, o órgão afirmou que os produtos devem chegar até semana que vem.

Enquanto isso, os médicos secam as mãos com fronhas. Os funcionários têm toalhas para secar as mãos. Já os pacientes que estão com ferimentos e doentes não têm opção para secar as mãos. Vale lembrar que bactérias de mão de paciente ou de profissionais da saúde podem gerar o mesmo caso de infecção.

De acordo com a cartilha da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) o uso coletivo de toalhas é contraindicado, pois elas permanecem úmidas, fato que ajuda na proliferação de bactérias.

Vale ressaltar que a utilização de secadores elétricos também é contraindicado.

A falta de detergente não foi mencionada pela Secretaria de Saúde. Sem um produto para lavar as bactérias, existe o risco de acontecer problemas de saúde ligado à infecção. Os funcionários afirmaram que detergente está faltando há mais de um mês. O produto é utilizado para lavar as louças e os materiais esterilizados.

Não perca a nossa página no Facebook!