Amarildo Gomes da Silva foi preso em 2017 por porte ilegal de arma. O caso foi registrado em outubro. Durante uma operação na comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro, Amarildo Gomes acabou detido pelos policiais militares, pois estava portando uma pistola e uma certa quantidade de drogas. Segundo informações, ele também foi acusado de associação ao tráfico.

Amarildo estava preso e aguardando o julgamento, para que o Ministério Público apresentassem provas na denúncia que justifiquem a permanência do acusado na prisão.

Porém, ele acabou sendo solto e já se encontra nas ruas.

A libertação foi determinada pelo juiz da 31ª Vara Criminal do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), Roberto Câmara Lacé Brandão, na quinta-feira (1º). Na decisão, o juiz avaliou que o prazo da prisão preventiva foi extrapolado e que o Ministério Público não apresentou provas na denúncia que justifiquem a permanência de Amarildo na prisão. Ele foi solto nessa sexta-feira (2).

Quem é Amarildo?

Amarildo Gomes da Silva é filho de Amarildo de Souza, pedreiro que ficou bastante conhecido após desaparecer dentro da Rocinha em 2013. Durante uma operação policial na comunidade, Amarildo pai foi preso por policiais militares dentro de um bar e foi levado para a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Em seguida, desapareceu e nunca foi encontrado.

A juíza Daniella Alvarez, que acompanhou o caso, disse que os policiais agiram errados, pois não poderiam interrogar ninguém em uma base da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Quando o pedreiro estava com os policiais, foi violentamente agredido e acabou sendo morto. Alguns policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) teriam participado no caso, pois foram eles que teriam descido com o corpo de Amarildo da comunidade.

Durante seis meses, ninguém conseguiu descobriu o que de fato havia acontecido com Amarildo, mas as investigações foram sendo feitas e os quatro policiais que participaram do caso acabaram sendo indiciados por homicídio.

Até o momento, o corpo do pedreiro não foi localizado a Justiça acabou decretando a morte presumida de Amarildo.

Na época, diversos moradores chegaram a fazer manifestações, perguntando aonde poderia estar o corpo de Amarildo. O fato chegou a ganhar repercussão em alguns jornais do mundo, e mostrou o despreparo de alguns policiais no Rio de Janeiro.

Marcelo Freixo ajuda família de Amarildo?

Atualmente, Marcelo Ribeiro Freixo é um professor e político.

Filiado ao Partido Socialismo e Liberdade (PSL), é deputado estadual do Rio de Janeiro. Ele havia se sensibilizado com as necessidades que a família de Amarildo estava passando e resolveu ajudar. Algumas informações apontaram que o partido ficou com 69% do dinheiro arrecadado que era para ajudar a família.

Diversos populares não aceitaram essa decisão, pois o dinheiro era para dar a família, não a partidos políticos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo