Mais uma "brincadeira" perigosa está circulando na internet brasileira. Trata-se do "desafio do aerossol", que consiste em fazer com que o desafiante coloque o spray do desodorante na boca e segure a respiração pelo maior tempo possível.

Em outras versões desse mesmo jogo, há desafios para que as pessoas congelem partes do corpo com o produto. O pior de tudo é que as instruções de como fazer tudo exatamente "como deve ser" para o desafio estão sendo compartilhadas na internet.

Sem saber das consequências e do grande perigo, várias crianças e adolescentes estão participando, acreditando que seja algo legal.

No entanto, não é e já fez até uma vítima. Uma criança de 7 anos de São Paulo morreu ao colocar o spray dentro da boca e travar a respiração.

Por conta disso, muitos médicos começam a fazer alertas, para que os jovens parem de participar desse desafio e também comecem a denunciar para que mais ninguém perca a vida. Para aqueles que participaram ou dizem que nada de ruim pode acontecer, más notícias.

Estão sendo divulgada na internet as principais consequências dessa "brincadeira" para a saúde. O ato pode causar queimaduras, asfixia, intoxicação cerebral e até parada cardíaca.

Sempre vale o aviso: não participe do "desafio do aerossol".

Especialistas começam dando o aviso com algo muito lógico: leia a embalagem do produto. Nela com certeza está escrito que é algo impróprio para consumo. Como é explicado, o desodorante conta com uma composição de produtos químicos e gases tóxicos.

Uma primeira reação muito comum é que o spray pode causar alergia na pele e também alergias mais graves em alguns órgãos que entrarem em contato com esse conteúdo.

A primeira versão desse desafio, como foi identificada por internautas, fazia com que os jovens colocassem o desodorante o máximo de tempo possível em um local do corpo.

Geralmente, as pernas ou os braços eram escolhidos. Como o produto conta com uma baixa temperatura, em contato por muito tempo fazia a pele congelar. No entanto, o que acontece depois é que a pele ficará queimada. Em alguns casos, também puderam ser vistos cortes e cicatrizes.

Agora, o "jogo" evoluiu para colocar o conteúdo dentro da boca. Os especialistas explicam que é muito pior disparar o spray para dentro do corpo. Se não levar a morte, como foi com a menina de São Paulo, pode causar uma intoxicação cerebral grave, asfixia ou ainda parada cardíaca.

Quem ver o "desafio do aerossol" na internet, deve denunciar. As publicações devem parar de aparecer para que os jovens parem de vez com a "brincadeira".

Não perca a nossa página no Facebook!