Adilson Ferreira dos Santos, 23 anos, foi assassinado durante um show em um shopping no Mato Grosso do Sul.

A confusão aconteceu durante um show da dupla Henrique e Juliano. Uma das versões dizia que havia uma barraca que vendia algumas bebidas e Adilson acabou discutindo com um homem por uma garrafa de água. Em seguida, ele teria dado um soco na cara do homem. A vítima agredida, um agente penitenciário, estava armada no local. Em seguida, o homem sacou a arma e efetuou diversos disparos contra Adilson, que caiu no chão.

Outra versão foi apresentada no caso: ambos estariam na filha de um banheiro químico e brigaram para ver quem seria o primeiro.

Em seguida, o agente prisional sacou a arma e fez diversos disparos.

Após o desentendimento, seguranças que estavam no local conseguiram deter o agente prisional até a chegada da Polícia Militar [VIDEO]. Os policiais conduziram o autor dos disparos até uma delegacia da região.

O show aconteceu em um estacionamento do Shopping Bosque dos Ipês, na capital. Sobre esse fato, os responsáveis pelo show não quiseram informar como uma pessoa conseguiu entrar armada no local.

Em nota, a administração do shopping lamentou a morte de Adilson e comunicou que está colaborando com as autoridades para esclarecimento sobre o incidente.

Nesta segunda-feira (5), ocorreu uma audiência para que os juízes pudessem ouvir as testemunhas que estavam no local. O agente penitenciário federal foi identificado como Joseilton de Souza Cardoso, de 37 anos.

A mãe de Adilson, Marilene de Souza Silva, se posicionou sobre o fato. Ela disse que o filho trabalhava com eventos no município de Brusque (Santa Catarina). Ainda bastante assustada com a morte dele, Marilene disse que ainda não caiu a ficha. "Até agora ninguém acredita no que aconteceu, meu filho comprou o convite do show com três meses de antecedência. Eu acho que pelo fato dele (acusado) ser um profissional de segurança pública, deveria ter melhor preparo, atirado na perna talvez e não matado meu filho".

Ela também falou sobre a atitude do homem que cometeu o crime. Marilene afirmou que não quer o assassino do filho [VIDEO] apodreça atrás das grades e disse que não guarda ódio. "Só quero que pague pelo que fez'', comentou Marilene.

Repercussão nas redes sociais

Muitos familiares e amigos de Adilson comentaram o fato nas redes sociais dizendo que ele era um bom rapaz e bastante atencioso com sua mãe. Ele deixou uma filha de quatro meses.